Carne vermelha pode acelerar o processo de envelhecimento

A Ciência avisa que comer muita carne vermelha pode acelerar o processo de envelhecimento. Níveis de ferro no sangue acima do saudável impedem uma vida mais longa.

Carne vermelha pode acelerar o processo de envelhecimento

Carne vermelha pode acelerar o processo de envelhecimento

A Ciência avisa que comer muita carne vermelha pode acelerar o processo de envelhecimento. Níveis de ferro no sangue acima do saudável impedem uma vida mais longa.

Comer muita carne vermelha pode acelerar o processo de envelhecimento. Os cientistas afirmam que manter níveis saudáveis ​​de ferro no sangue pode ser a chave para uma vida mais longa. A análise genética – feita na Escócia e na Alemanha – a mais de um milhão de pessoas permitiu determinar por que motivo o corpo de algumas pessoas envelhece em taxas diferentes. As descobertas podem ajudar a perceber os mecanismos do envelhecimento e acelerar o desenvolvimento de medicamentos para ajudar a tratar várias doenças relacionadas com a idade, incluindo as cardíacas e as de demência.

Carne vermelha introduz ferro de mais no organismo

«Estamos muito empolgados com esta descoberta, que sugere fortemente que altos níveis de ferro no sangue reduzem os nossos anos saudáveis ​​de vida», diz o autor e analista de dados Paul Timmers, da Universidade de Edimburgo. «Manter estes níveis sob controlo pode impedir danos relacionados com a idade», acrescenta. «As nossas descobertas sobre o metabolismo do ferro também podem começar a explicar por que é que níveis muito altos de carne vermelha rica em ferro na dieta estão associados a condições relacionadas com a idade, como as doenças cardíacas.»

No estudo, os cientistas concentraram-se em três medidas de envelhecimento biológico – expetativa de vida, expectativa de vida livre de doenças e longevidade – e reuniram informações genéticas de três bancos públicos de dados. O envelhecimento biológico – taxa em que o corpo envelhece ao longo do tempo – varia de pessoa para pessoa e pode causar as doenças mais fatais do mundo, como as já referidas cardíacas e de demência, e o cancro.

Descoberta pode levar ao desenvolvimento de fármacos para «superar alguns dos efeitos do envelhecimento»

Com base nesta análise, a equipa identificou dez regiões do genoma humano que parecem estar associadas à expectativa de vida, expectativa de vida saudável e longevidade. Além disso, também descobriram que conjuntos de genes ligados ao ferro são essenciais em todas as três medidas de envelhecimento analisadas. As análises sugerem que os genes envolvidos no metabolismo do ferro estavam associados a uma vida não apenas mais longo, como mais saudável. Porém, o ferro no sangue também pode ser afetado pela dieta. Níveis excessivamente altos ou baixos foram previamente associados a condições relacionadas com a idade, como doenças de Parkinson, hepática e declínio da imunidade.

«O nosso objetivo é descobrir como o envelhecimento é regulado e encontrar formas de melhorar a saúde durante o envelhecimento», diz Joris Deelen, do Instituto Max Planck de Biologia do Envelhecimento, na Alemanha. «As dez regiões do genoma que descobrimos estarem ligadas à expectativa de vida, à saúde e à longevidade são candidatas interessantes para novos estudos», adianta. Projetar um medicamento para imitar o controlo genético do metabolismo do ferro «pode um dia ajudar a superar alguns dos efeitos do envelhecimento», esperam os cientistas autores do estudo publicado em pormenor na revista científica Nature.

LEIA DEPOIS
Carne: variedades, cortes e confeções adequadas

O ferro como parte de uma dieta saudável

O ferro é importante na produção de glóbulos vermelhos, responsáveis pelo transporte do oxigénio pelos órgãos do corpo. A falta de ferro pode levar a anemia e, em casos extremos, à anemia crónica.

Boas fontes de ferro

Fígado (que deve ser evitado na gravidez)
Carne
Feijão
Noz
Fruta seca
Grão ou arroz integral
Cereais fortificados ao pequeno-almoço
Farinha de soja
E a maioria dos vegetais de folhas verde-escuras, como agrião e couve

De quanto ferro eu preciso?

– 8,7 mg por dia para homens com mais de 18 anos
– 14,8 mg por dia para mulheres de 19 a 50 anos
– 8,7 mg por dia para mulheres acima de 50 anos

O que acontece se consumir ferro de mais?

Os efeitos colaterais da ingestão de altas doses (acima de 20 mg) de ferro incluem constipação, mal-estar geral e náuseas, vómitos e dores de estômago. Doses muito altas de ferro podem ser fatais, principalmente se tomadas por crianças. Portanto, mantenha sempre os suplementos de ferro fora do alcance das crianças.

Impala Instagram


RELACIONADOS