5 formas de tornar o consumo de café mais sustentável

Ser amante de café e apologista de práticas mais sustentáveis por vezes pode ser um conflito. Quem leva o tema a sério vai dizer que não a café de cápsula, querer saber de onde vem a matéria prima e mais uma mão cheia de preocupações.

5 formas de tornar o consumo de café mais sustentável

5 formas de tornar o consumo de café mais sustentável

Ser amante de café e apologista de práticas mais sustentáveis por vezes pode ser um conflito. Quem leva o tema a sério vai dizer que não a café de cápsula, querer saber de onde vem a matéria prima e mais uma mão cheia de preocupações.

Ser amante de café e apologista de práticas mais sustentáveis por vezes pode ser um conflito. Quem leva o tema a sério vai dizer que não a café de cápsula, querer saber de onde vem a matéria prima e mais uma mão cheia de preocupações. Em 2020, segundo um estudo da Marktest, mais de seis milhões e meio de portugueses – com 15 anos ou mais, – beberam em casa uma média diária de pelo menos um café. O estudo mostra ainda que quase 4 milhões de portugueses bebem mais do que uma bica, em média, por dia em casa e que um milhão e meio bebe mesmo mais de dois cafés por dia em casa. Assim, quase que podemos dizer que os portugueses são movidos a café. Mas como tornar este consumo numa prática mais sustentável? A forma como bebemos café hoje em dia implica geração de resíduos poluentes, uma tendência crescente com o aumento de consumidores.

Temos cinco sugestões para consumir café com responsabilidade:

  1. 1. Evite máquinas que funcionem com cápsulas ou utilize cápsulas reutilizáveis. Se prefere as manuais, tem a cafeteira francesa e a italiana (também chamada Moka). Se prefere as automáticas, há várias que dispensam a utilização de cápsulas, sendo que as da Sage são uma boa opção. As cápsulas reutilizáveis podem ser compradas em lojas como Mind The Trash.
  2. 2. Não deite fora as borras do café. Sabia que as pode usar para fins estéticos ou como adubo das suas plantas? As borras podem ser usadas na fertilização de plantas,  para ajudar na compostagem e até podem servir como repelente de insectos.
  3. 3. Leia os rótulos e prefira café de especialidade.  O café de especialidade utiliza recursos renováveis próprios da região onde é produzido, respeitando assim o meio ambiente. As explorações de café de especialidade são habitualmente propriedade de pequenos produtores, que recebem um valor justo por um produto de elevada qualidade, favorecendo assim um comércio equitativo. A Associação do Café de Especialidade (Speciality Coffee Association em inglês), definiu o café de especialidade como café 100% Arábica, produzido na sua totalidade de forma artesanal e com uma pontuação de sabor superior aos 80 pontos em 100, realizada por um “Q grader” ou provador certificado pela SCA.

4. Diga não aos descartáveis. Se bebe café fora de casa e em andamento talvez nunca tenha parado para pensar na quantidade de resíduos criados e desperdiçados em copos e colheres descartáveis. Em Portugal, são utilizados, em média, 259 milhões de copos de café de plástico. Uma boa forma de solucionar esta questão é ter sempre consigo um reutilizável. Ha várias opções de materiais diferentes. Os da Bodum são uma boa opção, mas se procura algo num design mais divertido há as da Mr. Wonderfull.

5. Moa o café em casa. Se tiver uma máquina com moedor incluído, perfeito. Se não, recorde-se que a maior parte dos cafés que nos chegam já moídos vêm em embalagens de vácuo, que são feitas de plástico metalizado, de difícil reciclagem. Assim, opte por comprar o café em grão, a granel, em lojas especializadas e moer apenas na hora de preparar o café. Para comprar café pode optar por espaços icónicos como a Casa Macário, A Mariazinha, Pérola do Chaimite, todas em Lisboa, No porto, tem a Combi Coffee Roasters. Para entregas, a Fábrica Coffee Roasters.

 

LEIA MAIS 10 cosméticos para uma rotina de beleza mais sustentável

Texto: Marta Amorim

Impala Instagram


RELACIONADOS