Kate Middleton tem a mesma doença que a rainha Isabel II

Kate Middleton e a rainha Isabel II sofrem da doença cinetose, mais conhecida como «doença do movimento».

Kate Middleton tem a mesma doença que a rainha Isabel II

Kate Middleton tem a mesma doença que a rainha Isabel II

Kate Middleton e a rainha Isabel II sofrem da doença cinetose, mais conhecida como «doença do movimento».

Kate Middleton sofre de uma doença chamada cinetose, a mesma que também dificulta a vida à rainha Isabel II, avó do príncipe William.

LEIA DEPOIS
Bebé sem rosto. Rodrigo não ouve e só respira pela boca

Esta doença, também designada como «doença do movimento», apresenta um quadro de náuseas, havendo em certos casos vómitos, quando se fazem deslocações em vários meios de transporte, sendo mais frequente nos barcos. É por esta razão que muitas vezes, quando Kate tem de andar numa carruagem, a duquesa mostra uma expressão de desagrado.

Recentemente, na Trooping the Colour, a expressão facial da duquesa demonstrou o momento infeliz, levando alguns órgãos de comunicação a falar do assunto. Já no caso da rainha Isabel II foi-lhe recomendada a toma de alguma medicação que, no entanto, pode produzir alguma sonolência. Em 1953, no dia sua coroação, a monarca britânica deslocou-se numa carruagem com 200 anos, momento esse que chegou a recordar com algumas das horas mais terríveis da sua vida.

Sinais e Sintomas da Cinetose

Além das náuseas e sensação de vómito, a cinetose tem outros sintomas sendo eles:

– Perda de equilíbrio

– Problemas de memória

– Raciocínio lento

– Suor excessivo

– Dificuldade em focar o olhar

– Dores de cabeça

– Palidez

– Vertigens

– Fadiga

Sendo assim, quando alguém que sofre de cinetose se desloca no veículo em movimento tem dificuldades em ler, utilizar o telemóvel ou tablet.

A hiperemese gravídica de Kate Middleton

Além da cinetose, Kate Middleton sofre também de hiperemese gravídica, um problema de saúde que afetou a duquesa de Cambridge durante a gravidez de George, Charlotte, e mais recentemente, Louis.

A hiperemese gravídica é uma condição que aparece nas primeiras 10 ou 12 semanas de gestão e que é caracterizada por enjoos e vómitos extremos. Esta patologia leva à perda de peso, desidratação, alterações hidroelectrolíticas ou ao aumento das enzimas hepáticas. Nestas situações são essenciais as visitas frequentes ao médico, podendo ainda ser recomendado o internamento hospitalar por pouco tempo, algo que acabou por acontecer a Kate na primeira gravidez.

LEIA MAIS
Previsão do tempo para segunda-feira, 28 de outubro

Texto: Redação WIN – Conteúdos Digitais|Fotos: Reuters

Impala Instagram


RELACIONADOS