Zé do Pipo desapareceu há um ano e ninguém sabe o que realmente aconteceu [vídeo]

Esta terça-feira, dia 5 de novembro, faz um ano que o cantor Zé do Pipo desapareceu na praia do Portinho da Areia Azul, em Peniche. Até à data não se sabe o que realmente aconteceu, as opiniões dividem-se e a família mostra-se sem esperanças.

Zé do Pipo desapareceu há um ano e ninguém sabe o que realmente aconteceu [vídeo]

Esta terça-feira, dia 5 de novembro, faz um ano que o cantor Zé do Pipo desapareceu na praia do Portinho da Areia Azul, em Peniche. Até à data não se sabe o que realmente aconteceu, as opiniões dividem-se e a família mostra-se sem esperanças.

Foi a 5 de novembro de 2018, que desapareceu na praia Portinho da Areia Azul, em Peniche, o cantor de músicas populares portuguesas Zé do Pipo. O homem que interpretava esta personagem, Nuno Batista, de 40 anos, saiu de casa para ir à farmácia e ao banco e não regressou, tendo o alerta do seu desaparecimento sido dado horas depois.

LEIA DEPOIS

A foto de Princesa Diana que deixou o príncipe Carlos furioso

Um ano depois, o corpo do conhecido cantor continua por encontrar e em Peniche faltam respostas às muitas perguntas colocadas pelos populares. «Como nunca foi encontrado nenhum vestígio?», «por que o telemóvel, que estava desligado, volta a ligar-se há meia noite do dia do desaparecimento?» e «por que nunca mais surgiram informações da investigação?» são algumas das questões a que a Nova Gente tentou responder nesta reportagem ao falar em exclusivo com o pai do cantor, Carlos Batista, em Peniche, bem como com o Comandante da Capitania do Porto de Peniche.

Agente do cantor acredita no suicídio


Contactado pela nossa publicação, Luís Martins, o agente de Zé do Pipo, pouco falou a respeito do caso. No entanto, o empresário não deixou de referir que continua a acreditar que o cantor colocou termo à vida. «Eu e a família acreditamos que tenha sido suicídio, derivado à doença que ele tinha», afirmou.

Na verdade, os pais do cantor, Carlos e Rosa Batista, sempre afirmaram em entrevistas dadas, na altura do desaparecimento, que acreditavam no suicídio como o desfecho deste caso. Um ano depois, o sentimento mantém-se.

Já o pai do cantor referiu que «não há réstias de esperança de vida» e que, para sempre, ficará «uma dor que nunca mais é curável».

Mulher de Nuno Batista escreve letras do sucessor do cantor

Pouco tempo depois do desaparecimento do cantor, foi anunciado o sucessor de Zé do Pipo. Manel do Barril veio assim substituir o artista que completava, em 2019, dez anos de carreira.

Na altura, o facto da mulher do Nuno Batista, Celeste Batista, ser a responsável pelas letras do novo cantor suscitou alguma curiosidade e surpresa aos mais atentos. Mas para a família do cantor esse nunca foi um problema.

«Isso é normal, porque a minha nora é compositora. Tal e qual como o meu filho era. O meu filho era autor, cantor e compositor. Por isso, não acho mal nenhum a minha nora escrever à mesma músicas para aquela pessoa», afirmou Carlos Batista.

Morte só é declarada ao fim de 10 anos

O desaparecimento do cantor Zé do Pipo está ainda sob investigação, não existindo, por isso, uma certeza de que Nuno Batista se suicidou naquela praia em Peniche. Segundo a lei, só passados dez anos é que uma pessoa pode ser declarada a morte presumida.

«Decorridos dez anos sobre a data das últimas noticias, ou passados cinco anos, se entretanto o ausente houver completado oitenta anos de idade, podem os interessados a que se refere o artigo 100.º requerer a declaração de morte presumida», pode ler-se no artigo 114 do Código Civil.

Por essa razão, a cônjuge do cantor, Celeste Batista, não pode vender os bens que pertençam ao casal e/ou estejam no nome de Nuno, como casas, carros e outros pertences.

Texto: Marisa Simões

LEIA MAIS

A foto de Princesa Diana que deixou o príncipe Carlos furioso

 

Impala Instagram


RELACIONADOS