Sara Santos recorda morte da filha

Sara Santos exige justiça pela morte da filha e compara a sua dor com aquela que sente Judite Sousa.

Sara Santos recorda morte da filha

Sara Santos recorda morte da filha

Sara Santos exige justiça pela morte da filha e compara a sua dor com aquela que sente Judite Sousa.

Foi a 6 de fevereiro de 2018 que Sara Santos perdeu a filha, deixando-a devastada. Desde então não tem descansado enquanto a justiça não for feita.

A ex atriz, que estava grávida pela segunda vez, acusa o Hospital de São Bernardo, em Setúbal, e o médico que a assistiu no parto de negligência médica.

«Era uma gravidez de risco porque eu já tinha algumas contrações, mas tudo indicava que estava tudo bem com a bebé. Nas ecografias indicava que estava tudo bem e normal com ela», revelou na SIC aquela que perdeu a menina às 30 semanas de gestação.

Este sábado, dia 8, faz dois anos que pequena Jessica faleceu e a mãe fez questão de assinalar a data que nunca vai esquecer com muita dor.

«Faz hoje, dia 6 de fevereiro, dois anos que mataram a minha filha. Sim, estou a afirmar que mataram! As provas assim o dizem e confirmam também. Nestes últimos dois anos, confesso que tenho sobrevivido. Já muito falei sobre o assunto, ao ponto de me dizerem, de onde menos esperava: “Sara… Já chega de falares sobre a morte da tua filha. Tens de pôr o passado para trás das costas e seguir em frente”. Constantemente oiço: “Tens de deixar o passado”. Pois bem, para essas pessoas, espero que nunca percam uma filha. Aí a conversa muda de figura», escreveu.

Também Judite Sousa perdeu o filho de forma trágica e Sara Santos compara a sua dor à da jornalista. «Eu também sinto uma grande discriminação no que diz respeito à morte da minha filha, só quem passa por isto é que sabe, faço das palavras da Judite Sousa as minhas numa entrevista… “Se os pais de filhos vivos podem falar sobre os seus filhos, qual é a razão pela qual os pais de filhos que partiram não o poderem fazer?” Pois é, por que não podemos nós falar, lutar, fazer justiça? Porque está morto? Por que acham que nos vitimizamos? Por que é assunto tabu falar de um morto? E o que nos tiraram???? Quem traz de volta? Pois… Não há resposta para isso.»

Revoltada, Sara Santos garante que vai continuar a falar da filha e não desiste enquanto não se fizer justiça. «Como mãe, é o mínimo que posso fazer. As coisas são como são, eu já não sou a mesma pessoa. E SIM, vou continuar a falar da minha filha que está morta, que merece justiça. A Jessica partiu, mas eu não! E pela minha filha, doa a quem doer, faça o que eu fizer, a JUSTIÇA será feita, e será aqui, na Terra, porque é o que acredito neste momento.»

 

Texto: Filipa Rosa; Fotos: Reprodução Instagram

 

Impala Instagram


RELACIONADOS