As primeiras imagens de dor e emoção no funeral de Sara Carreira

Funeral de Sara Carreira decorreu na manhã desta quarta-feira, 9 de dezembro, entre muita dor e consternação. Família não quis ser fotografada e foi protegida com chapéus de chuva pretos.

As primeiras imagens de dor e emoção no funeral de Sara Carreira

Funeral de Sara Carreira decorreu na manhã desta quarta-feira, 9 de dezembro, entre muita dor e consternação. Família não quis ser fotografada e foi protegida com chapéus de chuva pretos.

Ainda não eram 09h00 quando uma carrinha negra, de vidros escurecidos, chegava à Basílica da Estrela, onde decorreu o funeral de Sara Carreira. Eram, entre outros, os avós paternos da jovem cantora, primeiros a chegarem às cerimónias fúnebres.

O procedimento para entrarem no antigo convento de Lisboa repetiu-se: chapéus de chuva pretos eram abertos pela equipa de segurança contratada para garantir a privacidade da família. A aproximadamente 15 minutos do início da missa, que teve início cerca das 09h30, chegava o núcleo duro do conhecido clã português: Tony Carreira, Fernanda Antunes e os irmãos David e Mickael.

Família e melhores amigos no funeral de Sara Carreira

O produtor musical Ricardo Landum, um dos melhores amigos do patriarca da família, não faltou ao último adeus da menina dos olhos do clã. A melhor amiga de Sara Carreira, a também cantora Bárbara Bandeira, e o irmão desta, Tiago, se deslocaram à Basílica da Estrela para a derradeira despedida da benjamim da família Carreira. No local, o perímetro de segurança, com baias, polícia e seguranças privados, entre os quais o guarda-costas de Cristiano Ronaldo, é ainda mais alargado do que aquele que foi criado para o velório.

A missa na Basílica da Estrela terminou quando ainda não eram 11 horas. A dois minutos da hora certa, a urna deixava o antigo convento e a família, devidamente resguardada, saía instantes depois. Transeuntes acompanharam a entrada do caixão no carro funerário com uma sonora salva de palmas. O corpo de Sara Carreira foi sepultado no Cemitério dos Prazeres, também em Lisboa, que, segundo a CMTV, esteve fechado à população durante as exéquias. Nele, só poderia entrar quem tivesse autorização, verificada através de uma lista na entrada do local. Desta forma, a família garantiu a privacidade que desejava.

Cristina Ferreira e Daniel Oliveira no velório

No velório de Sara Carreira, que ocorreu entre as 14 e as 19h30, foram muitas as personalidades que quiseram prestar condolências ao clã. Cristina Ferreira, a Diretora de Entretenimento e Ficção da TVI, e Daniel Oliveira, o Diretor-Geral de Entretenimento da Impresa, que detém a SIC, são exemplo disso.

Estiveram ainda no local nomes como Micaela Oliveira, estilista com a qual Sara Carreira assinou uma coleção de roupa, lançada pouco tempo antes da sua morte, Bárbara Bandeira, KashaJoão ManzarraAssunção CristasManuel Moura dos Santos Fernando Medina.

Aquilo que testemunhámos é que o acesso ao interior da Basílica da Estrela era estritamente reservado ao núcleo mais próximo do clã Carreira. Anónimos e (alguns) famosos que lá se deslocaram percorreram um trajeto criado por baias de segurança que dava acesso a duas tendas brancas. Aí, era-lhes dada a oportunidade de assinarem um livro de condolências. Não chegavam a entrar na capela.

Ministério Público abre inquérito para apurar circunstâncias da morte

O Ministério Público abriu um inquérito para apurar as circunstâncias da morte de Sara Carreira, confirmou a Procuradoria Geral da República. Este é, de resto, um procedimento habitual sempre que de um acidente de viação resulta uma morte. A investigação está a ser levada a cabo pelo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Santarém.

O acidente que vitimou a filha de Tony Carreira aconteceu, ao final da tarde do passado sábado, no quilómetro 61 da A1, no sentido Norte-Sul, próximo do nó de saída para o Cartaxo, e envolveu quatro viaturas. Aquela em que seguia a cantora era dirigida pelo namorado, o também cantor Ivo Lucas, que ficou com uma fratura exposta no braço. Houve ainda registo de duas pessoas com ferimentos ligeiros, cujas identidades foram, entretanto, conhecidas. Trata-se da fadista Cristina Branco e da filha desta, de dez anos.

“Ontem, morreu a filha do Tony Carreira, a quem, sem o conhecer, só posso expressar a minha dor solidária. Podia ter morrido a minha filha mais nova e a sua mãe. Efetivamente, estiveram as duas envolvidas no choque em cadeia na A1, em Santarém, e, felizmente, saíram apenas com fraturas ósseas”, referiu, neste domingo, 6 de dezembro, o escritor Tiago Salazar, ex-companheiro de Cristina Branco e pai da menina ferida. Sara Carreira era a mais nova dos três filhos de Tony Carreira e Fernanda Antunes, separados desde 2014. Tinha apenas 21 anos e dava os primeiros passos no mundo da música, seguindo, assim, o caminho profissional do que o pai e os irmãos, Mickael e David Carreira.

Texto: Dúlio Silva; Fotos: D.R.

Impala Instagram


RELACIONADOS