Pivô da TVI vê a clausura a chegar ao fim: «140 comprimidos em 10 dias»

«Não tenho trabalhado numa televisão fictícia e nem sou um holograma: aquelas 3h30 são mesmo reais, em direto de Queluz de Baixo»

Patrícia Matos viveu um momento difícil. A pivô da TVI foi infetada, pela segunda vez, pela bactéria helicobacter pylori, que se aloja no estômago ou no intestino e provoca inflamação e pode estar na origem de úlceras, gastrites e até cancro.

LEIA MAIS: Pivô da SIC Clara de Sousa «rouba» título aos três grandes do futebol

No dia em que regressa ao canal de Queluz de Baixo, a jornalista desabafou com os seguidores do seu site «Deve ser de mim» e contou o drama que viveu.

«Espero, sinceramente, que seja das últimas vezes que te dedico um post, HP. Já ninguém te aguenta, nem eu. É tudo tão chatinho que até há quem pense que me tens mantido de baixa médica desde janeiro, achas normal? Garanto-te que não tenho trabalhado numa televisão fictícia e nem sou um holograma: aquelas 3h30 são mesmo reais, em direto de Queluz de Baixo, em simultâneo para os dois canais. Eu estou lá, falo, entrevisto, leio jornais, converso com as pessoas, abraço-as. Palavra de honra. Tão certo como regressar lá já na próxima segunda-feira», começou por escrever.

«Foste mais agressiva, mais matreira»

Aliviada por ter ultrapassado a bactéria, Patrícia contou ainda que teve de tomar 140 comprimidos em apenas 10 dias.

«Acabou a clausura. Já chega. Foram 140 comprimidos em 10 dias. Consegues perceber como me deixaste? Eu, intolerante a tudo e mais alguma coisa, aguentei a lactose, o potássio, as náuseas, os vómitos e as outras coisas coisas que tu bem sabes, afinal, já somos repetentes. Mas tiro-te o chapéu: desta vez foste mais agressiva, mais matreira e obrigaste-me a parar de forma diferente.»

LEIA TAMBÉM: Jornalista da SIC e da TVI vivem drama

Por fim, Patrícia Matos avisou a doença que não dá terceiras oportunidades e que quer voltar a trabalhar sem obstáculos.

«A parar. A nova provação. Sabes, devias sentir-te contente porque eu raramente dou segundas oportunidades (sim, conheço o ditado ‘toda a gente merece uma segunda oportunidade’). Terceiras, é que não dou mesmo. Portanto… é mesmo a tua derradeira hipótese para ir embora. Já disse isto da outra vez, bem sei, mas agora é que não vai dar mesmo: quero voltar a trabalhar, ao ginásio, às pessoas e às coisas», findou.

Fotos: Impala e reprodução Instagram

 


RELACIONADOS

Pivô da TVI vê a clausura a chegar ao fim: «140 comprimidos em 10 dias»

«Não tenho trabalhado numa televisão fictícia e nem sou um holograma: aquelas 3h30 são mesmo reais, em direto de Queluz de Baixo»