Paula Lobo Antunes revoltada com atropelamento de jovem após bullying

Paula Lobo Antunes, Diogo Piçarra, Nuno Markl já reagiram à polémica sobre o atropelamento do jovem de 13 anos após ser vítima de uma alegada prática bullying de colegas.

Paula Lobo Antunes revoltada com atropelamento de jovem após bullying

Paula Lobo Antunes revoltada com atropelamento de jovem após bullying

Paula Lobo Antunes, Diogo Piçarra, Nuno Markl já reagiram à polémica sobre o atropelamento do jovem de 13 anos após ser vítima de uma alegada prática bullying de colegas.

Paula Lobo Antunes não ficou indiferente às imagens que chocaram o País. Nesta quinta-feira, 26 de maio, um jovem de 13 anos foi atropelado enquanto tentava atravessar a estrada nacional, no Seixal, para fugir de um alegado ataque de colegas, entre eles, Jéssica, na qual terá surgido a dar um soco no menino e a persegui-lo. O vídeo circula na Internet e tem sido analisado nas estações televisivas, inclusive na “Análise Criminal”, da SIC.

A entrevista da mãe da menina está a gerar uma onda de revolta nas redes sociais pelo facto da progenitora não concordar com a perseguição que está a ser feita à filha. Cláudia Barata não acredita que se tenha tratado de um episódio de bullying. “Aquilo foi uma brincadeira que correu muito mal, o menino decidiu atravessar a estrada sem olhar. A minha filha tem mais de 1,75 m, mas é uma criança, tem 13 anos e não podemos considerar tudo bullying, isto é um episódio que correu muito mal, infelizmente. Os pais nunca aceitaram falar connosco” disse, em declarações à SIC. 

Paula Lobo Antunes recorreu aos InstaStories, ferramenta do Instagram, e partilhou a sua opinião: “Que tristeza! Que raiva! Que horror! Que pais são aqueles que criam crianças que possam fazer tamanha maldade? Alguém me explica? Estou atónita.”

Diogo Piçarra usa ironia: “Foi uma tentativa de homicídio”

O cantor pronunciou-se através da sua página de Twitter e mostrou a sua indignação, através da ironia. “A senhora tem razão. A sua filha não fez bullying, foi uma tentativa de homicídio”, escreveu, acrescentando vários emojis de fúria.

Joana Albuquerque: “O que faltou à Jéssica foi a educação”

A vencedora do “Big Brother – Duplo Impacto”, da TVI, também fez questão de reagir à polémica na sua conta oficial do Instagram. “Acho que toda a gente já tirou as suas conclusões, claramente é bullying. Aliás uma criança que está no vídeo, supostamente que as crianças não têm tanto raciocínio como os mais velhos, a própria criança diz que aquilo é bullying” referiu a ex-concorrente do reality show através de vídeos partilhados nos InstaStories.

“Então como é que uma senhora que é mãe da criança vem dizer que não é bullying? E já se percebeu porque é que a criança pratica o bullying. Porque claramente a mãe da Jéssica não tem capacidade de interpretação de comportamentos abusivos e opressivos na nossa sociedade. Portanto, se calhar o que faltou à Jéssica foi a educação, é exatamente esta parte que faltou. É só isto que quis dizer” findou Joana Albuquerque.

Nuno Markl: “Os miúdos são uns imbecis – porque adultos andam a treiná-los para isso”

O humorista demonstrou igualmente a sua indignação sobre o alegado ataque de bullying ao jovem de 13 anos. Ao abordar o tema, Nuno Markl fez ainda referência às mensagens homofóbicas de que o ator Manuel Moreira foi alvo.

“No espaço de poucas horas vimos miúdos imbecis a fazer bullying de Internet ao ator @manelmoreira e miúdos imbecis a fazer bullying na rua a este miúdo, que acabou atropelado por um carro à conta disso (a história podia ter acabado ainda pior). Claro que, enquanto adultos, podemos sempre sacudir a água do capote e dizer “realmente os miúdos nestas idades são cruéis e estúpidos”. Só que miúdos são filhos de adultos, e são adultos que temos visto, cada vez mais, a usar sites de jornais e redes sociais para agredir o próximo, naquilo que parece um crescendo de ódio e intolerâncias várias – homofóbicas, racistas, ideológicas.” começou por dizer.

E continuou: “Algumas apenas clubísticas, mas ódio. Ódio, ódio, ódio. Acho que nunca se odiou tanto neste país. Consultem o Instagram do @radar_de_acefalos – é uma montra assustadora. Nós nunca fomos merecedores do epíteto de “país de brandos costumes”. Isso é uma velha e bafienta falácia que significa apenas que fomos, pelo menos até chegar a Internet, um país de ódio visceral reprimido, prestes a rebentar por algum lado (e ocasionalmente a rebentar sob a forma de “tradições” como a violência doméstica).”

“Bullying sempre houve (eu que o diga), e até concordo com o Chris Rock quando diz que agradece aos seus ‘bullies’ uma certa carapaça que o preparou para as agruras da vida. É verdade. Mas caminhamos para uma cultura de ódio vivo que é normal que passe de pais para filhos – a chamada “educação”. Os miúdos são, de facto, uns imbecis – porque, muito provavelmente, adultos andam a treiná-los para isso. Alguns ativamente; outros por negligência, preguiça ou desinteresse.” rematou Nuno Markl.

 

Texto: Carolina Sousa;
Fotos: Redes Sociais

Impala Instagram


RELACIONADOS