Caso real: «O meu pai era o meu melhor amigo, mas apaixonou-se por uma mulher que nos afastou»

Sou uma mulher com 36 anos e toda a vida me recordo de o meu pai ser o meu melhor amigo.

Caso real: «O meu pai era o meu melhor amigo, mas apaixonou-se por uma mulher que nos afastou»

Caso real: «O meu pai era o meu melhor amigo, mas apaixonou-se por uma mulher que nos afastou»

Sou uma mulher com 36 anos e toda a vida me recordo de o meu pai ser o meu melhor amigo.

Sou uma mulher com 36 anos e toda a vida me recordo de o meu pai ser o meu melhor amigo. Éramos cúmplices, companheiros e não passávamos um dia sem falar, mesmo quando ele tinha de trabalhar fora durante várias semanas. A nossa relação era de «inveja» para muitas amigas minhas, que também gostavam de passar com os pais delas aquilo que eu passava com o meu.

Mas já depois dos meus 30 anos, essa realidade mudou. Os meus pais separaram-se. Algum tempo depois o meu pai reconstruiu a vida ao lado de uma pessoa de quem não gosto. Ele sempre me disse que me poria em primeiro lugar. E isso não aconteceu. Não pensem que por ser já adulta, que a ligação com o meu pai já não deveria ser a mesma. Tinha de continuar a ser. Ele era o meu melhor amigo. Sempre foi!

Mas aquela mulher veio destruir a nossa relação. Ele optou por ela e esqueceu-se de mim. Continue a ler o testemunho no site da Crescer.

LEIA MAIS
Onde posso abastecer o meu automóvel [mapa interativo]
Saiba quanto ganham os motoristas que ameaçam parar o País

 

Impala Instagram


RELACIONADOS