Padre reage a leitura polémica na missa da RTP: “Os católicos também pagam a TV pública”

A missa que foi para o ar na RTP1 no passado domingo gerou polémica por causa de uma passagem da Bíblia que, alegadamente, apela à submissão das mulheres aos maridos. O padre Edgar Clara respondeu.

Padre reage a leitura polémica na missa da RTP:

Padre reage a leitura polémica na missa da RTP: “Os católicos também pagam a TV pública”

A missa que foi para o ar na RTP1 no passado domingo gerou polémica por causa de uma passagem da Bíblia que, alegadamente, apela à submissão das mulheres aos maridos. O padre Edgar Clara respondeu.

A missa transmitida no passado domingo pela RTP1 tornou-se polémica devido à leitura de uma passagem da Bíblia que, alegadamente, apela à submissão das mulheres aos maridos. Várias figuras públicas, entre elas Cristina Ferreira, Nilton, Madalena Abecasis e Constança Cunha e Sá mostraram-se indignadas. Agora, o padre Edgar Clara justifica as palavras proferidas no serviço religioso e apela à “boa fé”.

Na passagem em questão, afirma-se: “Leitura da epístola de São Paulo aos efésios. Irmãos, sede submissos uns aos outros. As mulheres submitam-se aos maridos como ao Senhor, porque o marido é a cabeça da mulher como Cristo é a cabeça da Igreja, seu corpo, do qual é o salvador. Como a Igreja se submete a Cristo, assim também as mulheres se devem submeter em tudo aos maridos. Maridos, amai as vossas mulheres, como Cristo amou a igreja e se entregou por ela. Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo.”

Edgar Clara explica: “Os dois [homem e mulher] são uma só carne. E se assim são, não há ninguém superior a ninguém”, diz o pároco ao Sol, acrescentando: “Se  quiserem ter boa-fé, olham para o texto e daí retiram que São Paulo esteja a mandar que os maridos amem as mulheres, as mulheres amem os maridos, e eles sejam um só. Tem que se ler [o texto da Epístola] na íntegra”, sublinha.

O padre respondeu ainda a quem discute a transmissão da missa na televisão pública de um Estado laico como Portugal: “Os católicos pagam também a televisão pública”, frisa, acreditando que “a eucaristia é um interesse público em todos os países da Europa”.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Nilton (@niltonoproprio)

Texto: Ana Filipe Silveira; Fotos: Reprodução

 

Impala Instagram


RELACIONADOS