Miguel Falabella descobre que avó e tia foram assassinadas

Miguel Falabella escreveu um livro sobre as suas origens e descobriu factos impressionantes. Ficou a saber, também, que é primo da também atriz Malu Mader.

Miguel Falabella descobre que avó e tia foram assassinadas

Miguel Falabella descobre que avó e tia foram assassinadas

Miguel Falabella escreveu um livro sobre as suas origens e descobriu factos impressionantes. Ficou a saber, também, que é primo da também atriz Malu Mader.

Miguel Falabella aproveitou a quarentena para escrever um livro sobre a sua família e descobriu factos absolutamente dramáticos sobre a bisavó.

O ator brasileiro, que o público português tão bem conhece, fez várias pesquisas sobre os seus antepassados e descobriu que a bisavó e a tia foram assassinadas. «Estou escrevendo a história da minha família. Descobri detalhes de uma passagem trágica. A minha avó teve a mãe e a tia assassinadas», começou por contar num direto no Instagram, com a também atriz Maria Zilda.

«Ela tinha apenas quatro anos quando estava brincando no jardim e viu a mãe caindo morta do seu lado. Ela lembrava muito bem da avó dela gritando, desesperada, porque tinha perdido duas filhas num golpe só», acrescentou Falabella.

Este duplo crime, segundo o ator, aconteceu em 1912. «Virou até manchete no jornal da época: Tragédia no Rio Comprido, cafetão [em português, o equivalente ao dono de um bordel ou aquele que vive à custa da prostituição] mata amante e irmã. Acho que elas eram do babado, porque na minha família só tem gente do palco e do babado», terminou.

Para escrever este livro, Miguel Falabella pediu ajuda a um genealogista, uma vez que quis ir muito atrás no tempo. E descobriu mais pormenores curiosos sobre alguns familiares.

«Descobri que, da parte do meu pai, tive uma tetaravó que foi uma grande estrela em Paris. O genealogista fez uma pesquisa muito grande, nada de orelhada, tudo documentado e com jornais da época», contou a Maria Zilda, acrescentando ainda: «Foi assim também que descobri que sou primo da Malu Mader e do poeta Artur de Azevedo».

Texto: Patrícia Correia Branco; Fotos: reprodução redes sociais

 

Impala Instagram


RELACIONADOS