Mariza assume luta contra depressão e revela que pai não sai de casa há anos

Mariza confessa que a pandemia a atirou para uma depressão, da qual saiu vencedora. A fadista revela ainda um drama familiar relacionado com o pai, de 83 anos.

Mariza assume luta contra depressão e revela que pai não sai de casa há anos

Mariza confessa que a pandemia a atirou para uma depressão, da qual saiu vencedora. A fadista revela ainda um drama familiar relacionado com o pai, de 83 anos.

Quem olha para Mariza, vê alguém imponente, poderoso e indestrutível. Ela é tudo isto, mas é também como qualquer outro ser humano, cheio de fragilidades, que a própria relata numa franca e reveladora conversa com a TV 7 Dias. Quando a pandemia da covid-19 rebentou, a maior diva do fado da atualidade lutou contra a incerteza, contra o medo e contra a sua própria cabeça. “Tive um princípio de depressão”, confessa Mariza, em exclusivo, à revista do grupo Impala.

A partir deste momento, não é a majestosa artista que fala. É, sim, a mulher comum. “Eu não entendia o que estava a acontecer. O meu mundo parou, tudo parou… E sem perceber o que aí vinha, do que estávamos à espera. A minha cabeça entrou em completo tilt. Estive medicada um tempo”, revela Mariza, recordando a “tristeza infinda” contra a qual lutava. “Chorava todos os dias!”, desabafa, referindo-se a este como um período “mau” a nível emocional.

A fadista não tem pudores em assumir que viveu um período “extremamente complicado”. É que, paralelamente ao início de depressão, a artista vivia preocupada com os pais, já que estes integram o grupo de maior risco de infeção por covid-19. Filha única, Mariza revela à TV 7 Dias: “O meu pai tem 83 anos… E não poder sair para nada. Era perceber: ‘o que vem agora?’. Porque, com 83 anos, já não se assimila da mesma maneira. E agora está pesado para ele, porque foram dois anos fechado.” A diva do fado fala num “impacto brutal” da pandemia no seu progenitor. Na edição desta semana da TV 7 Dias, descubra como Mariza superou o início de depressão, leia as memórias da fadista enquanto refugiada e perceba como o seu futuro na música pode guardar surpresas. Já nas bancas!

Texto: Dúlio Silva;
Fotos: Redes Sociais

Impala Instagram


RELACIONADOS