Maria Botelho Moniz Recorda episódio de perseguição: «Um verdadeiro pesadelo»

Maria Botelho Moniz vai interpretar uma personagem em Golpe de Sorte, que até tem alguns pontos relacionados com a própria.

Maria Botelho Moniz Recorda episódio de perseguição: «Um verdadeiro pesadelo»

Maria Botelho Moniz vai interpretar uma personagem em Golpe de Sorte, que até tem alguns pontos relacionados com a própria.

A comentadora do programa Passadeira Vermelha, Maria Botelho Moniz, está de volta à ficção nacional para fazer uma participação especial na série Golpe de Sorte, da SIC. Os detalhes são escassos, ainda assim, sabe-se que a apresentadora, de 35 anos, vai entrar nos últimos episódios da segunda temporada para dar vida a uma pessoa «perturbada» que irá atormentar Telma, personagem interpretada por Isabela Valadeiro.

Segundo a promo, exibida pelo canal de Paço de Arcos, a também repórter do programa Olhó Baião surge com o rosto desfigurado, por motivos ainda desconhecidos. A personagem de Maria Botelho Moniz, que até então ainda não tinha surgido no pequeno ecrã, trata-se da mesma pessoa que tem vindo a stalkear Telma ou seja, a ter comportamentos de assédio persistente que têm como objetivo perturbar e atemorizar a vítima.

Maria Botelho Moniz tem em mãos uma grande responsabilidade, no entanto, a própria já foi vítima de stalking na vida real. O caso remonta ao ano de 2012, altura em que a apresentadora começou a ser «ameaçada por um desconhecido» nas redes sociais que escalaram para telefonemas e ameaças.

Eram às centenas, foram criadas dezenas de páginas e perfis apenas com o intuito de insultar, ameaçar e aterrorizar a apresentadora. O homem chegou ao ponto de se fazer passar por Maria Botelho Moniz
e marcar reuniões com pessoas com quem ela tem relações profissionais. «Um verdadeiro pesadelo», revelou na altura ao nosso site, acrescentando: «Cheguei a ser acompanhada por colegas ao carro porque muitas vezes me dizia que estava à minha espera à porta do trabalho, para me fazer isto ou aquilo. Quando a pressão é continuada e tão agressiva, podemos acabar reféns da situação e viver num medo constante.», referiu, destacando que as ameaças eram, nomeadamente, do foro físico, sexual, agressivas e muitas vezes muito perturbadoras.

A apresentadora entrou com um processo no Ministério Público no final de 2012, mas até agora a investigação não teve qualquer avanço A identidade do stalker ainda é desconhecida, mas Maria Botelho Moniz desconfia tratar-se de um homem pelo teor das mensagens.

Texto: Márcia Alves; Fotos: Impala

 

Impala Instagram


RELACIONADOS