Luciana Abreu sofreu violência doméstica em silêncio: “Fui camuflando”

Luciana Abreu apresentou queixa contra o ex-marido Daniel Souza pela prática do crime de violência doméstica há um ano. Agora, atriz abriu o coração para dar o seu testemunho sobre o drama que alegou ter vivido e contou ter um “botão de pânico”, que já o utilizou.

Luciana Abreu sofreu violência doméstica em silêncio: “Fui camuflando”

Luciana Abreu apresentou queixa contra o ex-marido Daniel Souza pela prática do crime de violência doméstica há um ano. Agora, atriz abriu o coração para dar o seu testemunho sobre o drama que alegou ter vivido e contou ter um “botão de pânico”, que já o utilizou.

Luciana Abreu, de 36 anos, com uma infância e adolescência complicadas, abriu o coração no Dia Internacional pela Eliminação a Violência contra a Mulher, a 25 de novembro, para testemunhar sobre o que alegadamente se passou no seu casamento com Daniel Souza, bem como contar o que fez para se sentir mais segura.

A atriz, que também já deu vida a uma personagem que sofreu de violência doméstica, na novela Terra Brava, da SIC, trava, de momento, uma batalha em tribunal com o pai das gémeas – Amoor e Valentine Viktória – não só por danos matrimoniais, como também por ter apresentado queixa contra o ex-companheiro há mais de um ano devido aos maus-tratos psicológicos e físicos que disse ter sido alvo.

“Eu vivo uma situação dolorosa com as minhas filhas que passa por obrigá-las a procurarem o pai [Daniel Souza], e por isso é que pus dois processos em tribunal ao pai das minhas filhas, para não se esquecer que as tem. E por aqui entramos noutro campo, que é: há pessoas que nascem para ser mães e há pessoas que nascem para parir, há homens que nascem para ser filhos e homens que nascem para ser pais”, disse à revista Máxima, referindo que “não é fácil ser-se mãe solteira”.

«Tive consciência de que algo não estava certo»

Ao remoer no passado, recordou o momento em que decidiu colocar ‘um ponto final’ no suposto drama vivido durante o matrimónio com o guia turístico. “Eu tive consciência de que algo não estava certo”, contou à mesma publicação, prosseguindo: “O que não pode nunca deixar de acontecer é um pedido de ajuda. É o denunciar. Eu só me arrependo de não o ter feito mais cedo, devido à minha profissão, principalmente por causa dos media, com medo de perder trabalho, sendo mãe e pai de quatro filhas”.

E, até tomar essa atitude, a artista assumiu que colocou uma máscara coberta pelo medo. “Fui camuflando a verdade com uma mentira. Com um ‘está tudo bem’”, referiu. Esta disse que quando se sentiu livre e segura “foi um alívio muito grande”.  A libertação aconteceu com a ajuda da Cruz Vermelha, com a entrega de um “botão de pânico”. “Foi fundamental para mim. Foi a única opção”, assegurou Luciana Abreu.

Porém, apesar de ter tornado público o perigo que enfrentava, o pior terá voltado a acontecer. A atriz disse já ter utilizado o “botão de pânico” por causa do ex-companheiro. A mesma terá sido imediatamente ajudada pelas autoridades, dado que o aparelho envia a localização de quem o ativa.

«Levá-lo a perceber que não pode magoar»

Quanto ao desfecho dos dois processos que enfrenta em tribunal contra Daniel Souza, Luciana Abreu garantiu: “Só após o julgamento saberei o que lhe acontecerá. O que me interessou a mim nunca foi uma indemnização, mas sim levar a pessoa a perceber que não pode magoar gratuitamente, não pode insultar, não pode usar a força, não pode humilhar. É uma lição de vida”.

A também cantora casou-se com Daniel Souza em outubro de 2017 e a artista anunciou a separação em março de 2019. Luciana Abreu é ainda mãe de Lyonce e Lyannii Djaló, fruto da relação já terminada com Yannick Djaló.

Texto: Carolina Sousa; Fotos: Arquivo Impala e Redes Socias

Impala Instagram


RELACIONADOS