Judite Sousa apresentou novo livro e elevou a importância do amor

Judite Sousa vive dia marcante ao ver chegar às livrarias a obra que escreveu com Maria do Céu Santo.

Judite Sousa e Maria do Céu Santo apresentaram, esta sexta-feira, dia 29 de setembro, o livro «Não me olhes com esse tom de voz». Foi num final de tarde repleta de amigos que a jornalista e a médica mostraram ao mundo a obra que tem dado que falar.

Maria do Céu Santo começou por explica que «a ideia foi da Judite». Passados oito dias de falarem sobre o começo desta obra, «[a Judite] mandou logo 100 perguntas para eu responder».

LEIA MAIS: Judite Sousa fala sobre a dificuldade em manter uma relação amorosa

De forma a recolherem informação, «fizemos um jantar de amigos (muitos amigos) e analisámos problemas dos casais. Muitos iam na segunda ou na terceira relação. Foi um jantar de análise. Às 3 da manhã ainda estávamos na conversa», revelou a médica.

Em tom de confissão, Maria do Céu afirmou: «Quando tenho altos e baixos com o meu marido digo: ‘Não me olhes com esse tom de voz’ e ele acaba por sorrir. Achei que esse seria um bom título.
O objetivo é ajudar as pessoas».

E ainda avisou: «Não nos podemos esquecer dos afetos. Se alguém se está a pensar divorciar, por favor, leia primeiro o livro».

Judite Sousa emocionada com momento musical

Durante a apresentação, existiu um momento musical da autoria do professor António Levy. E foi após esta atuação que Judite Sousa começou a falar.

Visivelmente emocionada, muito devido a interpretação de António, a pivô da TVI explicou que no livro «falamos dos sentidos. Toque, o olhar, o cheiro».

«Os nossos sentidos não estão dependentes de máquinas, por muitas máquinas que sejam inventadas todos os dias, ainda não foi inventado nada para substituir esta bela máquina que é o nosso cérebro.»

«E o que há de mais importante? A minha resposta é: o amor»

Judite Sousa continuou: «Vivemos hoje num mundo de incertezas. Temos do outro lado do Atlântico um presidente imprevisível e temos no Pacífico um presidente previsível. Talvez o líder chinês seja, deste ponto de vista, mais confiável do que Donald Trump. Neste clima de incertezas, o melhor é pensarmos no que há de mais importante nas nossas vidas».

«E o que há de mais importante? A minha resposta é: o amor!», rematou.

Ainda sobre o livro, Judite explicou aos presentes: «Este é um livro sobre o amor. Desde logo o olhar. A palavra ou o silêncio cúmplice, que muitas vezes dispensa palavras. O toque, o beijo, que mede a intensidade da paixão. O cheiro. A pele é a parte mais erógena do tecido humano».

A coautora acabou com um elogio à médica e companheira desta aventura no mundo da literatura, dizendo:

«Este título da Maria do Céu é a mais bela declaração de amor que alguém pode fazer a alguém.»

Entre os presentes, estavam Isabel Angelino, Luís Marques Mendes e Vítor Gonçalves, jornalista que fez com que Judite regressasse à RTP para uma entrevista.

Veja as fotos desta apresentação na galeria.

Fotos: Paula Alveno


RELACIONADOS