João Manzarra recorda progenitor: «Vivi com o meu pai a mais profunda e bonita conexão»

António Manzarra morreu mês e meio antes das gravações do programa Árvore dos Desejos, da SIC, em fevereiro.

João Manzarra recorda progenitor: «Vivi com o meu pai a mais profunda e bonita conexão»

João Manzarra recorda progenitor: «Vivi com o meu pai a mais profunda e bonita conexão»

António Manzarra morreu mês e meio antes das gravações do programa Árvore dos Desejos, da SIC, em fevereiro.

João Manzarra recordou o pai, António Manzarra, que morreu, em fevereiro, antes do início das gravações do programa Árvore dos Desejos. O apresentador fez um relato emocionante sobre o progenitor e dedicou-lhe o programa que estreou no último sábado na SIC e que tem sido sucesso de audiências.

LEIA DEPOIS
Bárbara Guimarães festeja noite de Halloween com a filha [Fotos]

Nas redes sociais, Manzarra agradeceu as mensagens que tem recebido sobre o programa e refere ainda que este projeto foi feito «em equipa» com o pai. A juntar ao texto, João Manzarra publicou uma imagem com várias fotografias suas e do progenitor.

«Nunca pensei viver um momento assim. Tenho recebido mensagens de todos os lados elogiando A Árvore dos Desejos. É uma alegria enorme fazer parte de um programa que despertou, na sua execução, tantas emoções aos seus intervenientes e agora ao vasto público que a ele assiste. À data que escrevo estas palavras, é factual, comovente e excepcional que, das milhares de mensagens que tenho recebido, não exista um único comentário negativo», começou por escrever. «As felicitações são na sua maioria para a aposta fantástica da SIC, a produção de excelência da Shine, os incríveis intervenientes no programa mas também para a minha prestação», escreve.

«No último ano vivi com o meu pai a mais profunda e bonita conexão»

«No entanto, há alguém que ainda não foi referido. No último ano vivi com o meu pai a mais profunda e bonita conexão que desconhecia ser possível atingir. Muito devido à presença de um cancro. Durante esse período, tornou-se para mim evidente que nada dá mais sentido à vida que nutrir, contemplar e saborear as ligações que temos com aqueles que nos rodeiam e que são intemporais. Sejam elas com familiares, amigos, desconhecidos ou animais. E o foco desta “Árvore” é exatamente esta presença imaterial que está presente neste exacto momento na vida de todos nós e que tanta vezes é deixada para segundo plano», refere.

«As gravações do programa começaram um mês e meio após a morte do meu pai…. e foi com confiança que o trouxe comigo. Foi, pode-se dizer, trabalho de equipa. Se o meu pai foi luz, amor e alegria em vida, não seria na partida que o pintaria de tristeza. Esta ligação transcendente que perdura e todos os ensinamentos transmitidos foram a minha grande inspiração durante todo o processo de execução, e todo este carinho e consideração que tenho recebido nas mais diversas formas passo-o diretamente para ele, sem passar pela casa da despedida», acrescenta João Manzarra.

«O meu desejo é que nesta página da história da televisão portuguesa fique registado que A Árvore dos Desejos foi um programa apresentado por um belo par de Manzarras», termina.

Texto: Patrícia Correia Branco| Fotos: arquivo Impala e reprodução Instagram

LEIA MAIS
Previsão do tempo para sábado, 2 de novembro

Impala Instagram


RELACIONADOS