João Félix quebra silêncio sobre vídeo de Margarida Corceiro

João Félix veio a público defender a namorada, Margarida Corceiro, em relação a uma alegada traição da atriz com o jogador do Sporting, Pedro Porro.

João Félix quebra silêncio sobre vídeo de Margarida Corceiro

João Félix veio a público defender a namorada, Margarida Corceiro, em relação a uma alegada traição da atriz com o jogador do Sporting, Pedro Porro.

João Félix quebrou finalmente o silêncio para falar sobre a polémica que envolveu a namorada. Recentemente, Margarida Corceiro foi acusada de trair o jogador nas redes sociais, depois de ter sido divulgado um vídeo da atriz com o jogador do Sporting, Pedro Porro, numa discoteca, em clima de cumplicidade. “A imagem da Magui está a ser destruída por causa deste disparate. Ninguém traiu ninguém, parem com isso”, escreveu João Félix no Twitter, como reação a uma notícia sobre o assunto, partilhada nas redes sociais da CNN Turquia.

Margarida Corceiro recebeu ameaças de morte

No vídeo, que circulou nas redes sociais, pode ver-se Margarida Corceiro e Pedro Porro a conversar na discoteca. Ao ser confrontada com as partilhas que as imagens tiveram na Internet, a atriz sentiu necessidade de falar sobre o caso publicamente. “Isto já está a sair um bocado fora do controlo, está-me a deixar numa posição chata, ao João também e a outras pessoas que não têm nada a ver com isto também. Por um lado, sinto-me ridícula por estar a falar sobre isto, por estar a dar justificações a pessoas que não me conhecem de lado nenhum. Mas não estão a perceber, isto está a ser surreal, as mensagens que estão a mandar, estão a mandar ameaças de morte. Malta, as pessoas são loucas…”, disse no Instagram.

“Conheci o Porro há uns meses de uma maneira um bocadinho inesperada, num jantar de grupo, e desde aí ficámos com uma relação mesmo muito fixe, somos mesmo muito amigos e eu adoro-o. Ele é incrível e as pessoas que o conhecem pessoalmente sabem do que estou a falar”, afirmou, acrescentando ainda: “Se eu quiser estar aos beijinhos com alguém num momento íntimo, não vai ser no Lust, muito menos na Zona VIP, naquela varandazinha, para toda a discoteca ver. Eu também não entendo o porquê daqueles cavalheiros, que tiveram a iniciativa de gravar e de o reportar de uma forma tão simpática, não se lembraram de me gravar a falar e a abraçar as restantes pessoas que lá estavam. Não sei se já foram a uma discoteca, não sei se já foram ao Lust, mas para falarmos com alguém ou berramos ou estamos coladas à pessoa”.

Texto: Patrícia Correia Branco;
Fotos: Impala e Reprodução redes sociais

Impala Instagram


RELACIONADOS