Joana Amaral Dias denuncia assédio sexual de famoso

Joana Amaral Dias garante que recebe dezenas de fotografias íntimas de homens. Um deles, fiz a psicóloga, de 45 anos, terá sido uma figura conhecida dos portugueses.

Joana Amaral Dias denuncia assédio sexual de famoso

Joana Amaral Dias denuncia assédio sexual de famoso

Joana Amaral Dias garante que recebe dezenas de fotografias íntimas de homens. Um deles, fiz a psicóloga, de 45 anos, terá sido uma figura conhecida dos portugueses.

Joana Amaral Dias não se inibe de denunciar o assédio sexual de que é vítima. Um dos casos de que a psicóloga, de 45 anos, tem memória envolve um famoso. “Há muitos homens que enviam fotografias íntimas. Além de exibicionistas, são burros. Já me mandaram dezenas de fotografias. Nunca respondo. Se o fizesse, já estava a dar estatuto”, explicou Joana Amaral Dias em entrevista a Carina Caldeira, acrescentando que um desses homens é figura pública. “Ele sabe quem é. Não posso contar”, sublinhou.

Joana Amaral Dias deixa mensagem clara nas redes sociais

Em julho passado, a comentadora da CMTV usou as redes sociais para deixar uma mensagem bem clara a todos aqueles que fazem comentários preconceituosos nas fotografias que partilha em biquíni ou com roupas mais reduzidas. “Abunda por aí malta que não se impressiona de ver Marcelo [Rebelo de Sousa] em tronco nu ou [António] Costa em calção à beira-mar, mas acha chocante, em pleno século XXI, ver uma mulher de fato de banho. Enfim, todo um lodaçal de preconceito e tentativas de adestramento”, escreveu.

«Os meus prediletos são os que criticam os meus biquínis porque se veeem as minhas cicatrizes pélvicas»

“Confesso que os meus prediletos são os que criticam os meus biquínis porque se veeem as minhas cicatrizes pélvicas. Pois é, é que se notam mesmo as costuras das cesarianas que fui obrigada a fazer para colocar os meus filhos no mundo. E até se notam os furos da laparoscopia a que fui sujeita por causa de uma gravidez ectópica que quase me tirou a vida e me deixou internada durante semanas. Queriam que eu escondesse a minha história e a minha identidade? Que me envergonhasse dessas lutas? Que andasse mais tapadinha? Calada e quietinha, também? Não faltava mais nada. Exato. De uma maneira, de outra e mais daquela, o corpo da mulher é um campo de batalha. Marcas e sulcos. E com muito orgulho”, terminou.

Texto: Ana Filipe Silveira; Fotos: Reprodução Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS