Isabel Silva esteve «cerca de um ano sem receber» ordenado

Isabel Silva recordou, em entrevista a Fátima Lopes, como foram os primeiros tempos em Lisboa

Isabel Silva esteve «cerca de um ano sem receber» ordenado

Isabel Silva recordou, em entrevista a Fátima Lopes, como foram os primeiros tempos em Lisboa

A nortenha Isabel Silva foi a convidada deste sábado no programa de entrevistas de Fátima Lopes. Entre algumas lágrimas, a mulher que se diz «profundamente alegre» recordou a infância e a dificuldade do primeiro ano em Lisboa. Quis ser professora de ténis ou bailarina mas acabou na televisão. Teve uma infância feliz em Santa Maria de Lamas e era no Porto que planeava fazer a faculdade. Estava perto de casa e, consequentemente, na família. Mas no dia da candidatura, e já com o formulário preenchido, um encontro com uma desconhecida fê-la mudar a opção e Lisboa foi o destino escolhido. A mãe foi a primeira a apoiar a decisão, como fez em tudo nos anos que se seguiram.

LEIA DEPOIS
Previsão do tempo para este domingo, 3 de novembro

Isabel Silva passou um ano a fazer estágio sem receber ordenado

Depois da faculdade, Isabel esteve cerca de um ano a fazer um estágio numa produtora. «Estive cerca de um ano em Lisboa sem receber nada», afirma. «A minha sorte é que eu sempre tive uns pais… Eu nunca passei dificuldades, sempre vivi bem, é verdade. Sempre tive uma vida média alta, sempre vivi muito bem. Mas os meus pais sempre me ensinaram uma coisa ‘Filha, a gente dá-te tudo, mas liberdade com responsabilidade’. Eu tive a sorte de ter uns pais que me podiam dar o que eu quisesse mas sabes o que é que eu fiz? Já que os meus pais me estão a dar as ferramentas, eu vou aproveitar. Licencie-me em Ciencias da Comunicação, fiz o mestrado de Cinema e Televisão, tirei vários cursos no Cenjor de televisão e de rádio e disse ‘mãe, eu quero estar este ano todo em Lisboa e eu sei que tu vais ter que me bancar, vais ter que me pagar o alojamento, dar de comida… mas olha, vamos encarar isto como uma escola’. E assim foi», contou a Fátima Lopes.

O positivismo inabalável

Se há característica reconhecida a Isabel Silva é o seu positivismo e energia. A apresentadora garante que é influência dos pais e da vida que teve. «Para mim a vida é fácil, não te sei explicar. Olho para as coisas sempre de uma forma muito ligeira. E às vezes as pessoas confundem um bocadinho esta minha alegria. Porque para mim, a alegria é uma coisa muito séria». «Eu sou uma pessoa profundamente alegre e acho que isso é a minha maior característica» e já em pequena o era. Ria-se por tudo e por nada, afiança-lhe a mãe, Aurora. «Tive uma infâcia muito feliz. Estava na escola até à uma da tarde, o meu avô ia-me buscar, sempre almocei em casa da minha avó, fazia uma sesta, a minha mae ia-me buscar, jantávamos e depois eu ia brincar com os meus vizinhos. Foi uma infância muito bonita», recorda.

LEIA TAMBÉM
Menino de sete anos envenenado pela mãe já voltou à escola

O ano de 2018

Para Isabel Silva, o ano de 2018 foi aquele em se perdeu em tanto projeto. Misturou a vida pessoal com a profissional e a certo ponto teve necessidade de parar, muito por culpa da ansiedade. «Estava a dar em tola. ‘Isto não está bem, vamos parar para pensar’, disse. Eu estava tão envolvida nos meus projetos que deixei de estar tanto tempo com a minha mãe, com o meu pai, com os meus avós – que eu tenho os quatro avós… Eu não ia tanto ao norte, depois a minha mãe ligava-me e eu dizia ‘já te ligo’, mas não ligava. Eu só aguentei o que aguentei porque eu mesmo nos momentos de maior ansiedade, sempre soube aquilo que me fazia bem. Às vezes acordava sem vontade de me levantar e de fazer as coisas acontecererm, que era uma coisa rara na minha vida», recorda Isabel.

Os copianços a matemática

Foi após o vídeo da professora primária de Isabel Silva que a comunicadora admitiu que «copiava imenso». Entre risos e a expressão incrédula de Fátima Lopes Isabel admitiu que copiava «principalmente a matemática». «Eu tinha medo de errar, tinha medo de ir ao quadro resolver problemas. E apesar de eu gostar muito da Margarida (professora), eu às vezes tinha medo dela. Eu copiava, mas copiava bem», recorda.

As lágrimas

Dos muitos vídeos a que Isabel Silva teve direito, destaca-se o da amiga Gabriela Tavares, diretora financeira da Media Capital. É aqui que Belinha quebra e começa a chorar. Gabriela foi uma das primeiras pessoas a falar com Isabel na TVI e depressa se tornou uma segunda mãe. ​«Eu gosto muito de chorar, eu choro por tudo e por nada. A Gabriela é uma pessoa muito importante na minha vida, eu gosto imenso dela. Ela está comigo em todos os meus projetos». Gabriela é, por exemplo, técnica oficial de copntas do ginásio de Isabel Silva. «Ela é quase como se fosse a minha mãe aqui de Lisboa, é ela que me dá amparo», afirma a apresentadora.

«Eu e o pai gostamos muito de ti e temos muito orgulho em ti»

Manuel Luís Goucha foi outra pessoa a deixar uma mensagem à empresária. Destacou a alegria e personalidade de Belinha, e disse ainda que não recusava uma parceria com a apresentadora. O testemunho da mãe, Aurora Silva, ficou para o fim e embora não tenha querido mostrar a cara, deixou umas palavras à filha. «Eu e o pai gostamos muito de ti e temos muito orgulho em ti, no teu percurso e na pessoa em que te tornaste. Sempre foste uma boa filha, muito empenhada, lutadora, humilde, trabalhadora, focada e sempre uma pessoa de convicções fortes. Sei que às vezes é difícil para ti estares longe de nós mas quero que saibas que tu estás sempre no nosso pensamento e no nosso coração», disse.

LEIA MAIS
Vai espalhar cinzas da avó e atira-se ao mar ao ver algo inesperado [vídeo]
Português encontrado morto em cenário macabro em quarto de hotel na Suíça

Impala Instagram


RELACIONADOS