Inês Castel-Branco denuncia roubo feito empregada que tomava conta do filho

Inês Castel-Branco foi vítima de um furto pela empregada que tomava conta do seu filho. A revelação foi feita durante a sua participação no programa “5 Para a Meia Noite” desta quinta-feira.

Inês Castel-Branco denuncia roubo feito empregada que tomava conta do filho

Inês Castel-Branco denuncia roubo feito empregada que tomava conta do filho

Inês Castel-Branco foi vítima de um furto pela empregada que tomava conta do seu filho. A revelação foi feita durante a sua participação no programa “5 Para a Meia Noite” desta quinta-feira.

Inês Castel-Branco foi uma das convidadas do talk show da RTP1 “5 Para a Meia Noite”, emitido este quinta-feira, 4 de março. A atriz, de 39 anos, foi convidada pela anfitriã do formato a contar um episódio da sua vida que “contado ninguém acredita” já nos instantes finais da emissão.

“Quando estava grávida, contratei uma pessoa para trabalhar em minha casa e tomar conta do meu filho. Entrevistei muitas e a melhor de todas, com o melhor currículo e as melhores referência foi contratada.Ela trabalhou na minha casa durante um ano e meio”, começou por narrar a atriz que integra o elenco da próxima novela da TVI, “Para Sempre”.

“Um dia vou passar o fim de semana no Alentejo”, prossegue, “quando volto não encontro o meu computador, nem o do meu marido, nem a máquina fotográfica, nem a televisão. Tinham roubado tudo o que era de valor”, explica. “Mas a casa não estava revolvida. Estava tudo intacto”, salienta Inês Castel-Branco.

A atriz contextualiza ainda que, na mesma altura, convenceu o marido a receber em casa, durante um ano, uma estudante, no âmbito de intercâmbio. Porém, quando chamou a polícia para identificar a situação, não desconfiou em nenhuma destas duas pessoas. “Eu pús as mãos no fogo pelas duas. Nem pensar. Confio o meu filho a estar mulher…(…) que tem o melhor contrato de sempre, adora trabalhar aqui. Jamais me roubaria”, rememora perante o olhar atento dos outros convidados presentes em estúdio: o jornalista Carlos Daniel e o estilista Luís Carvalho.

Eis que “passados seis meses”, Inês Castel-Branco descobriu por intermédio das redes sociais que a autora do crime tinha sido a empregrada. “Um dia estava no Facebook e encontro a página da minha empregada. Começo a ver fotografias em que ela está identificada com a minha roupa vestida. Curiosamente à quinta fotografia era uma criança rodeada das roupas do meu filho”, relata.

A atriz da estação de Queluz de Baixo fez questão de confrontar a pessoa para depois despedi-la, mas a história não fica por aqui. “Passado um ano, liga-me uma amiga de Londres: ‘olha, estou aqui a fazer uma entrevista a uma empregada e deram-te como referência. O que é que tens a dizer sobre ela?’ Era a mesma [empregada]”, recorda entre risos.

 

Insultada durante um trabalho: “Tem calhaus em vez de pernas”

Minutos antes, Inês Castel-Branco participou na célebre rubrica do programa da estação pública, “Pressão no Ar”. Sentada na típica cadeira, a atriz foi questionada se alguma vez tinha sentido “body shaming durante um trabalho ou casting”. A resposta da atriz não se fez esperar.

“Já. Num casting não, mas a trabalhar já. Quando era mais nova e fazia moda, fui contratada para um editorial de calções. Os calções não me ficavam muito bem e assisti à produtora a ligar para a minha agência a dizer: ‘Ela tem calhaus em vez de pernas, vais ter de mandar outra pessoa'”, contou.

Perante tal atitude, a reação de Inês Castel-Branco foi de choque. “Morri, fiquei calada. Provavelmente chorei”, rematou.

 

Texto: Alexandre Oliveira Vaz com Carolina Sousa; Fotos: Redes Sociais

 

Impala Instagram


RELACIONADOS