Helena Laureano recorda violência doméstica. “Fui para o hospital e não quis ser cosida”

Helena Laureano esteve à conversa com Goucha e lamenta a falta de trabalho, que considera ser “dramático”. A atriz mostra-se ainda frágil ao recordar que foi vítima de violência doméstica.

Helena Laureano recorda violência doméstica. “Fui para o hospital e não quis ser cosida”

Helena Laureano esteve à conversa com Goucha e lamenta a falta de trabalho, que considera ser “dramático”. A atriz mostra-se ainda frágil ao recordar que foi vítima de violência doméstica.

Helena Laureano foi a convidada especial de Manuel Luís Goucha, na TVI, e recordou uma das fases mais complicadas da sua vida, quando, em 2012, foi vítima de violência doméstica às mãos de um ex-companheiro. Na altura, a atriz, de 54 anos, estava a gravar a novela Rosa Fogo (SIC) e também a sua personagem passava pelo mesmo drama.

Perante as palavras da convidada, o apresentador do vespertino da estação de Queluz quis saber como é que uma atriz que havia representado uma mulher agredida física e psicologicamente se deixa maltratar por um homem na vida real. “O amor é cego, dei tudo. Já passou”, disse Helena Laureano, admitindo que esses episódios lhe deixaram marcas para a vida e lembrando que o mais grave aconteceu durante uma viagem com o ex-companheiro a Cabo Verde. “Não dei queixa dele, fui para o hospital e não quis ser cosida”, conta, revelando que ficou com um rasgão na nádega esquerda. No entanto, não se conseguiu libertar de imediato. “Passados dois dias estava com ele nas salinas…. Já passou, já perdoei”, frisa, admitindo que perdeu a autoestima. “Tu não gostas de ti, és feia, tu deixas de ser tu própria. Pensas que amanhã é outro dia”.

Helena Laureano sem trabalho: “Quando chegamos a este ponto é dramático”

À época, Helena Laureana já era mãe de Beatriz – atualmente com 22 anos – fruto do seu relacionamento com o também ator João Cabral. A jovem, segundo a atriz, apercebia-se de algumas conversas à mesa e ainda hoje “não pode ouvir falar dessa pessoa”. As duas têm uma relação forte e Helena afirma que a filha “é linda, teimosa, muito senhora do seu nariz…”. “Não tem nada a ver comigo eu sou mais espalhafatosa”, brinca.

Nesta situação de violência doméstica – que acabou quando o ex-companheiro desapareceu –  Helena Laureano admite que foi o trabalho que a salvou, o mesmo que lhe falta agora, pois encontra-se sem projetos na área da representação desde que gravou Golpe de Sorte para a SIC. “Nós, atores, vivemos da representação, alimenta-nos a alma, mas neste momento não é para alimentar alma, é para pagar as minhas contas. Quando chegamos a este ponto é dramático”, lamenta a artista, que sofre de artrite reumatóide mas está estável a nível da saúde.

Sem receio de mostrar as suas fragilidades, Helena contou que iniciou um processo para conseguir receber ajuda da Segurança Social: “Dei baixa dos meus recibos verdes há dois dias e vou tentar receber 300 euros”. Durante a conversa, a atriz disse ainda que gostava de recuar à infância e emocionou-se ao recordar a mãe que faleceu há seis anos. “Foi negligência médica. Não era para ter acontecido, a minha mãe era parte de mim, se estou aqui a ela o devo. Na altura, pensei em tudo. Eles vão embora mas estão cá presentes”, disse entre lágrimas, revelando que ela e a filha falam com a progenitora.

 

Texto: Carla S. Rodrigues; Fotos: Redes sociais

 

Impala Instagram


RELACIONADOS