Ex-comentadora do Big Brother explica ausência da TVI: “Assim que puderam, despacharam-me”

Magda Burity diz que não voltou a ser comentadora do “Big Brother” porque lhe foi dito que tinha sido “um dano colateral das escolhas”. “Assim que puderam, despacharam-me”, atira a comunicadora.

Ex-comentadora do Big Brother explica ausência da TVI:

Ex-comentadora do Big Brother explica ausência da TVI: “Assim que puderam, despacharam-me”

Magda Burity diz que não voltou a ser comentadora do “Big Brother” porque lhe foi dito que tinha sido “um dano colateral das escolhas”. “Assim que puderam, despacharam-me”, atira a comunicadora.

Magda Burity explicou a sua ausência do “Big Brother – Duplo Impacto”. A ex-comentadora do “Big Brother 2020” colocou um ponto final na curiosidade dos muitos seguidores que, nos últimos meses, lhe têm enviado mensagens a questionar da razão pela qual não se manteve a analisar os acontecimentos do reality show da TVI.

“Hoje vou falar-vos de cancelamento em Portugal enquanto está a passar na TVI o ‘Big Brother’, em simultâneo a este post”, começou por escrever a jornalista. “Toda a gente sabe que fui comentadora deste formato naquele que dizem que foi o regresso e a viragem com temas que ajudaram a olhar para o mundo da forma como ele deve ser entendido e justo. Não é só quando um príncipe ou uma princesa falam de racismo que se deve dar ouvidos por isso partilho a minha história que tem que ser conhecida também“, afirmou.

“Não voltei porque me foi dito que fui um dano colateral das escolhas”

Magda Burity disse-se orgulhosa “de ter feito parte deste projeto, onde, de maio a agosto” do ano passado, deu “tudo” e teve “uma conduta irrepreensível com a equipa” com quem trabalhou”. “E não voltei. Não voltei porque me foi dito que fui um dano colateral das escolhas – pessoais ou coletivas, mas isso agora não interessa nada. Todos os outros comentadores regressaram e foram convidados mais. Nenhum negro”, atirou.

Ligada ao reality show por ter trabalhado na versão angolana do mesmo, a ex-comentadora da TVI prossegue: “O que interessa é que vocês que me seguem e que me pedem para voltar a comentar também devem saber que não depende de mim colocar-me de joelhos para ter um lugar naquele sofá quando já fui diretora de conteúdos de dois ‘Big Brother’, autora e produtora executiva do meu próprio reality show e tenho autoridade e experiência para dar mais do que comentar. Sei também que a televisão portuguesa só tem a ganhar com a minha visão inclusiva e de diversidade cultural, ao invés de me excluir a meio do caminho.”

“Segui continuando a fazer o que sei fazer melhor que é comunicar e seguirei propondo o que sei melhor fazer – comunicar. Há apenas a vossa validação que conta bastante nesta equação e nesta prova passei! Por isso não me vitimizo e sim me realizo e agradeço. Ninguém desiste ainda”, remata Magda Burity. Em forma de hashtags, entre outras, pode ler-se “representatividade importa”, “a verdade” e “gordofobia”.

“Há preconceito, sim, em Portugal na TV generalista”

O assunto não ficou por aqui. As reações não demoraram a chegar e Magda Burity já respondeu a algumas delas. “É uma profissional. Surgirão, estou certa, outras oportunidades!”, comentou uma seguidora. A ex-comentadora do “Big Brother” defendeu: “As oportunidades somos nós que criamos, acredite. Apenas o processo tem de ser mais transparente e menos pessoal. O sistema de cotas é o ideal para estas situações.”

Outra seguidora considerou a situação “dececionante”: “Mas bola para a frente. O que és ninguém te tira. O que é teu está guardado e no tempo certo estará nas tuas mãos. Ele não brinca”. “Já está nas minhas mãos, mana, por isso a abertura em falar. Este não é um post de vitimização e sim da realidade ‘that we live in’ [‘em que vivemos’, traduzido para português]. Há preconceito, sim, em Portugal na TV generalista. Há gordofobia e o mundo precisa de saber. Além da patente falta de representatividade negra em lugares de decisão, opinião válida e projetos de continuidade que não seja cantar e pular. É disso que a Madame Comunicação fala neste post”, respondeu Magda Burity.

Magda Burity diz-se “usada como peça” do movimento “Black Lives Matter”

“Grandes coisas estão por vir. Há algo maior a espera de explodir. Acredita. Minha grande negra. Amo-te”, disse outra seguidora da comunicadora. “Eu sei! É preciso prepará-las denunciando e tendo o vosso apoio. Os bastidores nunca são revelados. Somos usados como peças de ‘Black Lives Matter’, como aconteceu comigo e, assim que puderam, despacharam-me porque sou boa no que faço e melhor ainda no que digo. (…) Não é o projeto que estou a reclamar e sim o espaço que o privilégio branco da TV está confortável em arrancar a toda a hora”, defendeu.

Outra internauta referiu que a presença de Magda Burity no painel de comentadores do “Big Brother” “fazia muito mais sentido, já que o programa se diz defensor de causas”. “Algum dia tinha de vos justificar, uma vez que são vocês que validam o meu trabalho, além do meu percurso. Não é só nas redes sociais que sou abordada, mas na rua também e não vou andar a mandar os ‘screenshots’ dos vossos pedidos porque tenho muito orgulho da profissional livre que sou sem medo de represálias. Pois só oprime quem não quer ver o outro crescer”, respondeu a visada.

Texto: Dúlio Silva; Fotos: Reprodução Instagram

 

Impala Instagram


RELACIONADOS