Cuca Roseta reage às críticas sem papas na língua: “Estas são as minhas nádegas, traseiro, rabo”

Cuca Roseta foi alvo de uma dura crítica por parte de Nuno da Câmara Pereira depois de ter publicado fotografias onde surge com um look ousado. Agora, a fadista reagiu com uma atitude ainda mais ousada

Cuca Roseta reage às críticas sem papas na língua: “Estas são as minhas nádegas, traseiro, rabo”

Cuca Roseta foi alvo de uma dura crítica por parte de Nuno da Câmara Pereira depois de ter publicado fotografias onde surge com um look ousado. Agora, a fadista reagiu com uma atitude ainda mais ousada

Cuca Roseta foi alvo de uma dura crítica por parte de Nuno da Câmara Pereira depois de ter publicado fotografias onde surge com um look ousado. Além do desdém do também fadista, a cantora acabou por receber mais comentários depreciativos, por isso, decidiu responder a todos com uma atitude mais ousada.

Maria Cerqueira Gomes e a história do amuleto da sorte: “Já não peço para me casar”
Maria Cerqueira Gomes e Manuel Luís Goucha juntam-se em palco esta segunda-feira, 13 de junho, para o arranque de Uma Canção Para Ti e a apresentadora já tem um amuleto da sorte (… continue a ler aqui)

Foi no Instagram que Cuca Roseta publicou uma fotografia onde o protagonista é o seu bumbum, com uns calções de ganga curtinhos. Na legenda começou por escrever: “Olá eu sou a Cuca Roseta e estas são as minhas nádegas, traseiro, glúteo, rabo ou o que lhe quiserem chamar. Também tenho (como qualquer ser humano normal) olhos, boca, braços, mãos, cabelos, etc..”. “Escrevo este post porque há 3 dias partilhei uma fotografia na minha felicidade e inocência, com a roupa com que estava vestida, naquele mesmo dia em que fui com os meus músicos jantar em Ponta Delgada, num restaurante fantástico que se chama ‘a Casa do bacalhau’. De repente fui inundada de mensagens a comentar o meu rabo, as minhas calças e o que devia vestir ou não devia vestir e fazer ou não fazer.”

Perante as mensagens que recebeu, Cuca Roseta tentou explicar que “vivemos de uma forma livre”, como tal, cada um é livre de escolher o que quer vestir. “Ora todas as pessoas que me seguem sabem que eu estou de bem com a vida e com o meu corpo e que por acaso não é propriamente sobre o que é efémero que me costumo debruçar, seja nos temas ou ideais partilhados nas minhas redes sociais, seja na minha vida profissional, familiar e espiritual. Vamos lá ver meus senhores, vivemos de uma forma livre, em que seja qual for a cultura onde nascemos cada um tem o direito de vestir o que quiser e bem lhe entender, desde os indígenas aos que utilizam burca e não ser julgado ou criticado pela diferença.”

A fadista questionou em tom de alerta: “Até quando tanto ódio, tanta maldade, tanto preconceito e julgamento? Não chegou já a altura de olharmos para dentro? Não tivemos já tantas chamadas de atenção! Tantos desafios suficientes que nos obrigaram a olhar para as nossas casas, as nossas famílias, para a certeza de que nada é permanente? Está na cara que precisamos de cuidar mais de nós próprios, do nosso espírito, da nossa verdade e deixarmos o outro em paz. Não chega já de ferir os outros, só porque somos nós que temos o coração ferido? De culpar o outro, de chingar o outro? Bolas… Não é isso que vai sarar as nossas feridas!”.

Cuca Roseta terminou com uma mensagem positiva e pediu o fim das “guerras”, por mais “respeito e amor”. “Hoje o meu rabo e a minha voz, assim como o meu espírito e a minha alma vão estar no palco da Mealhada, a cumprir com a única missão a que nos somos propostos a cada dia desde de que nascemos e nos é dado um dom: Fazer os outros felizes e levar-lhes todo o amor e luz através dos instrumentos que nos são dados para tal. Chega de guerras! O mundo precisa de Respeito e de Amor.”

A crítica de Nuno da Câmara Pereira

Ao ver as imagens anteriormente publicadas, Nuno da Câmara Pereira não poupou nas críticas: “Não tenho hipótese… desisto de tentar… Tentar não isso… não! Desisto de mostrar o que não é fado e que cada vogal tem o seu valor próprio consoante a posição em que se coloca ela mesmo na palavra… perdida ou não!”.

Se alguns dos seguidores aplaudiram as palavras do fadista, muitos também condenaram o gesto. Desde quando um fadista se faz pela roupa que usa??? Ser bom cantor ou fadista ou outra coisa qualquer, tem a ver com a capacidade da pessoa não pela roupa que ela usa. A viver no século XXI como se do século passado se tratasse não lhe fica nada bem”, referiu uma internauta. Leia tudo aqui.

Texto: Mariana de Almeida; Fotos: Reprodução Instagram

 

Impala Instagram


RELACIONADOS