Advogados de Cristiano Ronaldo terão feito ameaças a Kathryn Mayorga

Cristiano Ronaldo foi acusado de violação por uma mulher norte-americana. Tudo terá acontecido em 2009, num quarto de hotel em Las Vegas.

Advogados de Cristiano Ronaldo terão feito ameaças a Kathryn Mayorga

Cristiano Ronaldo foi acusado de violação por uma mulher norte-americana. Tudo terá acontecido em 2009, num quarto de hotel em Las Vegas.

Os advogados de Cristiano Ronaldo terão ameaçado Kathryn Mayorga de “exposição pública” e de “humilhação”, caso esta continuasse a falar com as autoridades. Esta alegação está a ser avançada pelo jornal britânico The Sun, que terá tido acesso a uma transcrição do tribunal onde o caso decorreu. A norte-americana acusou o craque de a ter violado, em 2009, num quarto de hotel em Las Vegas. De acordo com esta publicação, os advogados de Cristiano Ronaldo terão avisado Mayorga que, se ela continuasse a falar com a polícia, invalidariam o acordo com o craque e a acusariam de extorsão.

O The Sun avança ainda que o advogado da norte-americana, Leslie Mark Stovall, terá dito ao Tribunal Distrital dos Estados Unidos, em setembro do ano passado, que os advogados que defendem Cristiano Ronaldo sabiam que ela “era vulnerável a um indivíduo muito poderoso e que estava com medo de publicidade”. Stovall terá citado, em tribunal, e-mails alegadamente trocados com a defesa de CR7.

“O que eles fizeram foi: ‘Bem, se você continuar a falar com o Metro, não vamos continuar o acordo e vamos acusá-la publicamente de extorsão e dizer que você fez sexo consensual e que agora está a tentar extorquir dinheiro desta pessoa famosa e conhecida”. “Ela estava apavorada com isso. E isso continuou a ser repetido e repetido em toda a correspondência deles. Havia uma ameaça”, terá ainda dito o advogado de Kathryn Mayorga.

Sexo anal sem proteção ou lubrificante

Ainda segundo a norte-americana, Ronaldo ter-lhe-á tirado a roupa interior, contando com a recusa da vítima. “Virei-me e enrolei-me como uma bola e gritei não, não, não!” Segundo o relato, o avançado terá agarrado na sua vagina e pulou para cima das suas costas, praticando sexo anal sem proteção, durante 5 a 7 minutos e sem lubrificante.

O atleta internacional sempre disse que o sexo foi consentido. Afirmou que a violação é “um crime abominável” e apresentou cerca de 60 testemunhas para depor a seu favor. A 23 de julho de 2019 a justiça norte-americana ilibou Cristiano Ronaldo da acusação de violação. A procuradoria de Clark County, no estado do Nevada, concluiu que as alegações de crime sexual, apresentadas por Kathryn Mayorga, de 34 anos, não podem ser comprovadas.

Texto: Patrícia Correia Branco;
Fotos: Reprodução redes sociais

LEIA AINDA
De Rúben Semedo a Ronaldo, recorde os escândalos sexuais no futebol

Impala Instagram


RELACIONADOS