Acusação de violação contra Cristiano Ronaldo arquivada

O pesadelo de Cristiano Ronaldo chegou ao fim! A juíza norte-americana, Jennifer Dorsey, decidiu arquivar a ação judicial na acusação de violação feita por Kathryn Mayorga.

Acusação de violação contra Cristiano Ronaldo arquivada

O pesadelo de Cristiano Ronaldo chegou ao fim! A juíza norte-americana, Jennifer Dorsey, decidiu arquivar a ação judicial na acusação de violação feita por Kathryn Mayorga.

Cristiano Ronaldo já pode pôr um ponto final neste capítulo da sua vida. De acordo com a agência Associated Press, a juíza norte-americana, Jennifer Dorsey, decidiu arquivar a ação judicial no caso de violação contra o jogador. Kathryn Mayorga acusava o internacional português de a ter violado, em Las Vegas, em 2009. A juíza distrital dos Estados Unidos, em Las Vegas, “chutou” o caso para fora do tribunal na sexta-feira, dia 10 de junho, para punir a advogada de Kathryn, Leslie Mark Stovall, por “conduta de má-fé” e pelo uso de documentos roubados.

Jennifer Dorsey disse, numa ordem de 42 páginas, para que se procedesse ao arquivo do caso sem opção de o reabrir, referindo que Cristiano Ronaldo foi prejudicado pela conduta da advogada, avança a mesma agência. “Acho que a aquisição e o uso contínuo desses documentos foi de má-fé, e simplesmente desqualificar Stovall não vai curar o prejuízo de Ronaldo, porque os documentos desviados e o seu conteúdo confidencial foram tecidos no próprio tecido das reivindicações da (reclamante Kathryn) Mayorga”, lê-se na decisão, citada pela Associated Press.

Kathryn Mayorga diz ter sido violada num hotel

Katrhyn Mayorga conheceu Cristiano Ronaldo em 2009, em Las Vegas. A norte-americana diz que o jogador a violou num quarto de hotel, acusação que o craque sempre negou. No ano seguinte, em 2010, a ex-modelo assinou um acordo de confidencialidade extrajudicial no valor de 324 mil euros, mas anos depois mudou de ideias e decidiu levar o craque à Justiça, alegando que, quando assinou o referido acordo não estava psicologicamente bem.

De acordo com Mayorga, o jogador terá entrado na casa de banho com o órgão sexual à mostra, tentando forçar relações sexuais com ela e “implorando que lhe tocasse no pénis por 30 segundos“, ato que terá recusado. Ronaldo terá pedido à morena misteriosa para lhe fazer sexo oral, mas também este pedido terá sido recusado. O português ter-lhe-á pedido um beijo para a deixar ir embora, ela acedeu e o momento ter-se-á descontrolado: “Ele veio para cima de mim com muita força e disse-lhe que não!”

Sexo anal sem proteção

Ainda segundo a norte-americana, Ronaldo ter-lhe-á tirado a roupa interior, contando com a recusa da vítima. “Virei-me e enrolei-me como uma bola e gritei não, não, não!” Segundo o relato, o avançado terá agarrado na sua vagina e pulou para cima das suas costas, praticando sexo anal sem proteção, durante 5 a 7 minutos e sem lubrificante. O atleta internacional sempre disse que o sexo foi consentido. Afirmou que a violação é “um crime abominável” e apresentou cerca de 60 testemunhas para depor a seu favor. A 23 de julho de 2019 a justiça norte-americana ilibou Cristiano Ronaldo da acusação de violação. A procuradoria de Clark County, no estado do Nevada, concluiu que as alegações de crime sexual, apresentadas por Kathryn Mayorga, de 34 anos, não podem ser comprovadas.

Texto: Mariana de Almeida e Carolina Sousa;
Fotos: Redes Sociais

Impala Instagram


RELACIONADOS