Coca-Cola e UEFA respondem a Cristiano Ronaldo

O gesto de Cristiano Ronaldo na conferência de imprensa que antecedeu o jogo desta terça-feira, 15 de junho, entre a Hungria e Portugal, a contar para o Euro 2020, mereceu especial atenção por parte da Coca-Cola e da UEFA.

Coca-Cola e UEFA respondem a Cristiano Ronaldo

O gesto de Cristiano Ronaldo na conferência de imprensa que antecedeu o jogo desta terça-feira, 15 de junho, entre a Hungria e Portugal, a contar para o Euro 2020, mereceu especial atenção por parte da Coca-Cola e da UEFA.

O momento em que Cristiano Ronaldo afastou duas garrafas de Coca-Cola e substituiu-as por uma de água, na conferência de imprensa que antecedeu o jogo desta terça-feira, 15 de junho, entre a Hungria e Portugal, a contar para o Euro 2020, continua a dar que falar. A marca de refrigerantes e a UEFA não quiseram ficar caladas e já responderam ao capitão da seleção nacional.

De acordo com um porta-voz da marca de refrigerantes, em declarações ao jornal britânico Daily Mail, todos os jogadores têm acesso a “água, assim como a Coca-Cola e Coca-Coca Zero, à chegada às conferências de imprensa”. O mesmo representante destacou, ainda, que “todas as pessoas têm direito às suas preferências no que se refere a bebidas”.

Já a organizadora do campeonato europeu de futebol esclareceu, também a propósito da provocação de Ronaldo, que sem o patrocínio dessa empresa de bebidas não seria possível “organizar um torneio com tanto sucesso para jogadores e adeptos, nem investir no futuro do futebol a todos os níveis”.

Cristiano Ronaldo já se tinha manifestado contra a Coca-Cola

Em dezembro do ano passado, aquando da cerimónia de entrega de prémios dos Globe Soccer Awards, o madeirense falou sobre o futuro do filho mais velho nos relvados. Na altura, garantiu que Cristianinho, que celebra amanhã, 17 de junho, 11 anos, quer seguir as pisadas do pai, mas lamentou que o menino não resista à gula.

“Vamos ver se vai ser grande jogador. Ainda não é. Às vezes, ele bebe Coca-Cola, refrigerantes, come batatas fritas e sabe que eu fico irritado. Digo-lhe, às vezes, que depois da passadeira deve mergulhar-se em água fria, para recuperar, e ele diz ‘pai, mas está tão frio…’. É normal, tem dez anos. Ele tem potencial. É rápido, dribla bem. Mas isso não é nada, não chega. É preciso muito trabalho e dedicação, estou sempre a dizer-lhe. Não o vou pressionar para ser jogador de futebol, mas se me perguntarem se quero, claro que quero. No entanto, quero sobretudo que ele seja o melhor, seja futebolista ou médico”, disse Ronaldo.

Texto: Ana Filipe Silveira;
Fotos: Reprodução Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS