Cláudio Ramos recusa falar sobre primeiro grande amor Pedro Crispim

Cláudio Ramos abre o coração a Cristina Ferreira e conta tudo sobre a vida pessoal e profissional. Mas nem uma palavra sobre o primeiro grande amor, Pedro Crispim.

Cláudio Ramos recusa falar sobre primeiro grande amor Pedro Crispim

Cláudio Ramos abre o coração a Cristina Ferreira e conta tudo sobre a vida pessoal e profissional. Mas nem uma palavra sobre o primeiro grande amor, Pedro Crispim.

Cláudio Ramos abriu as portas de casa a Cristina Ferreira no primeiro dia do ano. O apresentador da TVI deu uma entrevista intimista à amiga e partilhou com o mundo quase tudo sobre a sua vida: pessoal e profissional.

Questionado por Cristina Ferreira sobre qual a fase mais difícil da sua vida, Cláudio Ramos assume: “Houve coisas muito difíceis. A esta distância, com 47 anos, aprendi a relativizar. Está tudo resolvido, não tenho mágoa nenhuma com o passado, o presente é muito bom, soube fazer uma gestão muito boa das coisas que me aconteceram. O importante e não nos esquecermos nunca do que passámos, para que o futuro seja melhor e o presente não nos deixe tirar os pés do chão.”

Sobre a infância, o apresentador recorda: “A minha mãe foi uma super-mulher. O que achei sempre dos meus pais é que se fosse eu fazia coisas diferentes. Mas eu só tenho uma filha. Qualquer coisa que tenha acontecido entre mim e a minha mãe ficou ultrapassado desde que ela foi avó da minha filha. Acho que a minha mãe ama mais os netos do que os filhos. É extraordinária.”

“A primeira imagem de infância que eu tenho, estranhamente, é com o meu pai. Toda a gente sabe que não tínhamos uma relação próxima. Ele tinha orgulho em mim, era rígido e muito sonhador. Por ele me castrar por aquilo que queria ser na minha comecei a criar-lhe distância. Ele achava que isto não era uma profissão”, lembra. “Eu sou uma pessoa especial, não era igual às outras. Na altura não era só na sexualidade. Tenho uma intuição diferente das outras pessoas, e algumas coisas no meu pai eu não gostava.”

Relativamente ao presente aos sucessos que tem vindo a conquistar na vida profissional, Cláudio Ramos garante: “Isto que está a acontecer eu sabia que ia acontecer, tinha a certeza absoluta. As pessoas vão achar que isto é meio louco. Só duas pessoas acreditaram que eu conseguia: a minha ex-mulher e mãe da minha filha – Susana Moniz que sempre me apoiou e uma amiga de infância.”

Cláudio Ramos assume homossexualidade

Durante a entrevista, Cláudio Ramos desdobrou-se em elogios à ex-mulher. “Sempre entendeu todas as minhas decisões. Eu sempre quis ser o melhor marido e o melhor ex-marido. Somos os melhores amigos. É a primeira pessoa a quem telefono. É muito ponderada”, diz. Sobre a separação, que se deu quando Cláudio Ramos assumiu a homossexualidade, o apresentador tem noção que a mãe da filha “sofreu mais”. “Ficou sozinha com uma filha, eu estava a fazer a minha vida em Lisboa. Sentamo-nos uma vez e eu disse-lhe: pergunta-me tudo o que quiseres perguntar.”

“Ela já tinha desconfiado?”, interrompe Cristina Ferreira. “Acho que poderia ter desconfiado, como as pessoas, desde que eu cheguei a este meio, como o meu pai me dizia muitas vezes. Dizia que eu era afeminado, coisinha de maricas. Nunca me chateou ou traumatizou, estou-me a borrifar. Foi antes de casar. Eu estava focado em ter uma boa família, uma casa, uma filha. Achava que era para a vida toda”, confessa.

“Tinhas relações sexuais?”, pergunta Cristina. «Sim, normal», responde sem pudores

“Nunca senti durante o casamento que a estava a trair. O meu pensamento não estava a trair, quando comecei a pensar que o meu pensamento estava a ir para outro lado cheguei a casa e disse: Susana, isto acaba aqui. Saí de casa e conversámos duas semanas depois.” “Depois chego lá e sai-me tudo da boca de repente. Ela não estava nada à espera, fui muito egoísta. Sou muito egoísta nas decisões que tenho para mim.” Contudo, Cláudio Ramos pensa que “ajudou” Susana não ter sido “trocada” por uma mulher.

Cláudio Ramos e Susana viviam na altura numa vila pequena do Alentejo, mas o apresentador garante: “Não nos escondemos.”

Cláudio diz que nunca precisou de ter uma conversa com a mãe. “As mães sabem. Falámos sempre soube tudo.” “A única pessoa que me perguntou foi a minha filha Leonor. Disse: precisamos de ter uma conversa, tinha 10, 11 anos.” “Fomos a minha casa, sentámo-nos e ela disse: os meninos dizem… tu és bissexual? E eu disse-lhe que não, que era homossexual.”

Acerca da exposição da pública a que a filha se viu sujeita por ser sua filha, o apresentador conta: “A última vez que ela apareceu foi no teu programa ( programa da Cristina, na SIC) e agora quer estar mais sossegada. Não que saber de nada disto.”

Os relacionamentos amorosos

“Vi ali uma fotografia muito suspeita…”, atirou Cristina Ferreira, referindo-se a um retrato que o apresentador tem com o ex-namorado na estante da sala. “Com o Diogo [Faria]?”, ri-se Cláudio. “As pessoas importantes da nossa vida fazem parte da nossa vida. É uma pessoa importante na minha vida”, diz.

“Já resolveste as coisas com antigas relações?”, perguntou, curiosa, referindo-se ao namoro que o apresentador teve com Pedro Crispim. “Não tive antigas relações, não tenho essas memorias!”, respondeu, entre risos, fugindo à questão.

Cláudio Ramos e Maria Botelho Moniz estreiam-se esta segunda-feira, 4 de janeiro, nas manhãs da TVI. O programa “2 às 10” vai ocupar o lugar do Você na TV!, até então apresentado por Manuel Luís Goucha.

Texto: Joana Dantas Rebelo, Fotos: redes sociais

Impala Instagram


RELACIONADOS