Cláudia Vieira recorda os meses de sofrimento após a separação de Pedro Teixeira

Cláudia Vieira está radiante com a segunda gravidez, mas ainda tem bem presente o sofrimento que viveu após a separação de Pedro Teixeira

Cláudia Vieira recorda os meses de sofrimento após a separação de Pedro Teixeira

Cláudia Vieira recorda os meses de sofrimento após a separação de Pedro Teixeira

Cláudia Vieira está radiante com a segunda gravidez, mas ainda tem bem presente o sofrimento que viveu após a separação de Pedro Teixeira

Cláudia Vieira abriu o coração naquela que foi a terceira conversa com Daniel Oliveira. A atriz falou sobre a sua segunda gravidez e acabou por falar sobre os momentos mais difíceis que viveu após a separação de Pedro Teixeira, com quem teve uma filha, Maria, agora com nove anos. Na entrevista que deu à SIC, no programa Alta Definição, este sábado, dia 29 de junho, a atriz relembrou o período de sofrimento que viveu e como superou esta fase negativa da sua vida.

«A parte mais difícil foi a parte emocional, inevitavelmente. A parte de nunca deixar passar ‘nadinha’ à Maria da infelicidade ou da angústia que eu pudesse estar a viver. Essa parte foi dificílima para com a minha filha e para com o mundo», revela a atriz que viveu uma relação de nove anos com o ator Pedro Teixeira.

«Foi realmente uma etapa da minha vida em que eu tive de ir a forças que eu nem sabia que tinha ou que existiam», confessa Cláudia Vieira, revelando que o fim deste relacionamento mudou a forma como passou a ver o amor e que foi necessário muito tempo para voltar a acreditar que podia ser feliz novamente.

«A vida dá voltas que nos surpreendem e nós temos de nos readaptar. Essa readaptação leva tempo e ganhamos alguma dificuldade em ter algumas certezas, nomeadamente o avançar para um segundo filho e constituir novamente a minha família. Estava com muito receio», confidencia a atriz que, aos 41 anos, se prepara para ser mãe pela segunda vez com o companheiro João Alves.

«Eu tive uma relação de nove anos que terminou com uma filha que tinha três anos. Voltar a ter disponibilidade emocional par me entregar a alguém, para me apaixonar, para acreditar… Ter esse espaço não é muito fácil. Eu sempre disse que sou muito apaixonada e que acredito muito no amor mas acreditar é uma coisa e vivê-lo é outra. E eu sei (como muitas mães e pais sabem) o que é criar um filho de pais separados. Durante uma fase da minha vida foi realmente uma gestão e uma ginástica gigante», revela a atriz
Depois da separação de Pedro Teixeira, Cláudia viveu uma das fases mais difíceis da sua vida, ao ponto de perder a sua essência. «Eu perdi o brilho, perdi as minhas características… Eu sou muito de emoções e, de repetente, tive a sensação de que estava apagada. Parecia que tinha um filtro entre mim e as pessoas, entre mim e a vida», revela a atriz.

Enquanto viveu sozinha com a filha, Cláudia Vieira passou por alguns momentos delicados que exigiram «uma gestão complicada». O episódio mais marcante e que, ainda hoje, recorda com «angústia» foi o dia em que teve de deixar a filha Maria trancada no carro, enquanto foi a casa buscar o Yoshi, o seu cão de estimação, para o levar a passear à rua.

«A Maria era pequenina e adormeceu no carro quando estávamos a vir de um jantar de amigos e eu ainda tinha o Yoshi para levar à rua. Eu estava sozinha e deixei a Maria no carro a dormir, trancada com o vidro um bocadinho aberto – em pânico como é óbvio – e fui buscar o Yoshi. Houve determinados momentos que foram dificílimos», recorda a atriz.

Cláudia Vieira assumiu ainda que o sofrimento que viveu após a separação se prolongou durante anos. «Eu estava cinzenta e tinha uma necessidade de leveza e de voltar a ser aquilo que eu era… Eu sofri durante meses e depois durante anos porque eu tinha saudade daquilo que eu era», confessou a atriz que, em 2015, reencontrou o amor ao lado do empresário João Alves.
A superação deste período difícil foi gradual e «dar tempo» foi essencial. «Só devagar o escuro se faz claro?» perguntou Daniel Oliveira. Pergunta à qual Cláudia respondeu sem hesitações: «Muito devagar».

«Mas o tempo cura», continuou a atriz, explicando que esta é «a maior das verdades». «Vai aclarando e, de repente, parece que se está a entrar ali noutro tom e voltamos a perceber que há ali duas ou três nuvens que tendem a não se afastar… És sujeito a determinadas comparações e a determinados comentários, que são agressivos e com os quais não se sabe lidar, mas depois com o distanciamento todo, aprendes».

A atriz partilhou ainda que ultrapassar uma separação é um processo interno mas que as pessoas que nos rodeiam também têm o seu papel. «Acho que os verdadeiros amigos podem ajudar muito mas há um crescimento só teu, uma dor que tens de viver. Acima de tudo, é difícil pensar que vais voltar a ser tu, de forma leve, e a ser feliz na plenitude porque realmente as coisas más têm um peso que nos marcam», referiu.

«Ganhei medos, endureci um bocadinho, sem dúvida alguma, mas ao mesmo tempo voltei a ser feliz, voltei à minha leveza e a respirar…», revelou a atriz, confessando que a filha Maria foi fundamental neste processo de recuperação. «Havia uma necessidade tão grande que ela não sentisse que a mãe estava a passar por um momento ‘menos bom’ que eu fui buscar nela muita coisa. Eu tenho uma relação muito única com ela, muito especial, muito intensa e de muita cumplicidade», concluiu.

Cláudia Vieira prepara-se agora para constituir uma nova família ao lado de João Alves, com quem está há quase cinco anos. Cláudia está grávida de três meses e concretiza agora, aos 41 anos, um dos seus maiores desejos que era voltar a ser mãe e dar à pequena Maria um irmão.

Veja a notícia completa aqui

Notícia www.novagente.pt

Impala Instagram


RELACIONADOS