Cifrão recorda Angélico Vieira: «Não dá para superares»

Angélico Vieira perdeu a vida há sete anos. Depois de todo este tempo, Cifrão revela que ainda pensa no amigo e tem o seu número guardado no telemóvel.

Vítor Fonseca, também conhecido como Cifrão, recordou com saudade o amigo Angélico Vieira que morreu na sequência de um trágico acidente em 2011.

LEIA MAIS: Cifrão nega regresso dos D’ZRT

Em conversa com Rui Maria Pêgo, Conguito e Maria Correia para a rubrica ‘Cala-te Boca’, da Mega Hits, o cantor respondeu a várias questões, entre as quais sobre o grupo musical ‘DZRT’, do qual fez parte, juntamente com Paulo Vintém, Angélico Vieira e Edmundo Vieira.

Questionado sobre o preço mais algo que pagou por ter feito parte do grupo musical lançado em 2004 na série adolescente Morangos com Açúcar, Cifrão confessa que o grupo sofreu de preconceito por terem sido lançados numa série juvenil. Já sobre os companheiros, o bailarino recordou a trágica morte de Angélico Vieira. «Perderes um irmão é mesmo o preço mais alto que tu podes pagar», referiu.

Emocionado, Cifrão confessa que o acidente foi um duro golpe. No entanto, afirma ser um homem de sorte por ter privado com ele. «Ele era uma pessoa muito inteligente, muito trabalhadora, muito especial. Sei segredos dele e ele sabia segredos meus que eu nunca vou contar a ninguém», confessou.

«Ainda tenho o número dele no meu telefone»

A morte de Angélico Vieira ficou bem presente na mente dos portugueses. Cifrão admite que ainda hoje pensa no amigo e que ainda tem o número do amigo no seu telemóvel.

«Nunca superas nenhuma perda, vais sempre ter saudades. Tenho momentos em que penso que era muito louco ligar-lhe. Eu ainda tenho o número dele no meu telefone, não o vou apagar”, reforça. “Tenho saudades, há certas coisas que eu falava só com ele. Não dá para superares. Nunca perdi nenhum irmão, mas perdi um irmão de outra mãe», refere.

Angélico Vieira morreu há sete anos

O dia 28 de junho de 2011 ficará sempre na memória dos portugueses. Angélio Vieira, faleceu três dias depois do acidente de viação que o deixou em estado muito grave, no hospital de Santo António, no Porto.

Na madrugada de 24 para 25 de junho, o cantor conduzia o seu BMW, quando se despistou na A1, em Estarreja. Angélico não ia sozinho no carro. Ao seu lado iam Hélio Filipe – que teve morte imediata – Armanda Leite – que ficou gravemente ferida -, e Hugo Pinto, que milagrosamente saiu ileso.

TVI foi rampa de lançamento de Angélico Vieira

O jovem ficou conhecido por ter entrado na série «Morangos com Açúcar», da TVI, em 2004, mas também por ter namorado com Rita Pereira.

Os atores tornaram-se um dos casais mais acarinhados do público português. Apesar de já não estarem juntos na altura da morte do artista, a atriz da TVI foi um dos rostos mais tristes durante a permanência de Angélico no hospital, assim como na altura do velório e do funeral.

Rita Pereira foi o grande apoio de Filomena, mãe de Angélico, durante esta fase tão difícil na vida de ambas. Na altura da morte do jovem, Anita Costa era a namorada do cantor.

VEJA AINDA: Angélico Vieira perdeu a vida há sete anos

Fotos: Impala e Reprodução Instagram

 


RELACIONADOS

Cifrão recorda Angélico Vieira: «Não dá para superares»

Angélico Vieira perdeu a vida há sete anos. Depois de todo este tempo, Cifrão revela que ainda pensa no amigo e tem o seu número guardado no telemóvel.