André Filipe revela tentativa de suicídio da mãe

No programa “A Tarde É Sua”, André Filipe abriu o livro da sua vida. Em conversa com Fátima Lopes esta segunda-feira, o ex-concorrente do reality show da TVI recordou o dia em encontrou a mãe caída na cama após uma tentativa de suicídio

André Filipe revela tentativa de suicídio da mãe

André Filipe revela tentativa de suicídio da mãe

No programa “A Tarde É Sua”, André Filipe abriu o livro da sua vida. Em conversa com Fátima Lopes esta segunda-feira, o ex-concorrente do reality show da TVI recordou o dia em encontrou a mãe caída na cama após uma tentativa de suicídio

André Filipe marcou presença no programa “A Tarde É Sua” esta segunda-feira, 9 de novembro. Em conversa com Fátima Lopes, o ex-concorrente do “Big Brother – A Revolução” recordou o episódio psicótico que motivou a sua saída do programa e fez outras revelações: a sua mãe Hélia esteve também ela internada numa ala psiquiátrica e sobreviveu a uma tentativa de suicídio.

André explica que viveu intensamente o jogo e que terá sido o facto de não dormir as horas necessárias que despoletou o episódio psicótico. “É difícil [explicar] porque eu tive muito tempo sem dormir. Eu pensava que estava de uma determinada maneira e cá fora as pessoas estavam a ver de outra forma”, começa por revelar para depois frisar que passou a olhar para o tema da saúde mental com outros olhos.

“Eu passei a respeitar, e muito, a saúde mental. Eu nunca tive problemas de saúde mental e até renegava tudo o que era comprimidos. Neste momento, estou a dar o rosto pela saúde mental e foi muito difícil, para mim, ter de sair do Big Brother [por isso] e de repente, ir para uma ala psiquiátrica”, conta.

Visivelmente emocionado, André admite ainda que teve de ser amarrado à cama do hospital, já que não conseguia desligar-se do jogo que criou. «Quando estive no Hospital de São José, eles tiveram de me amarrar à cama. Estava muito agitado. Eu ouvia a voz do Big Brother e ele já não estava ali, comigo. Pensava que ainda estava na casa”.

André Filipe não esconde o sentimento de tristeza e admite que foi duro voltar, novamente, àquela ala psiquiátrica. Até porque, esta já não era a primeira vez que estava naquele espaço. Em tempos, o jovem, agora com 25 anos, esteve lá para apoiar a progenitora, Hélia. «Foi difícil. Como eu tive a minha a mãe numa ala psiquiátrica… e ver-me, depois, nesse mesmo papel. No mesmo sítio, sentado na mesma cadeira… pensava que estava a ver a minha linha da vida. A reviver o mesmo momento”, acrescentou.

Hélia foi assim a cuidadora de André Filipe. Um papel que, em tempos e apesar da tenra idade, foi do filho.

«A minha mãe é que foi a minha cuidadora. Foi um internamento difícil devido ao Covid-19. Não há visitas e foi muito complicado estar só entre a medicação, quarto e corredor”. Ainda assim, considerou que todo o apoio que recebeu por parte dos médicos, enfermeiros e auxiliares, foi muito importante para a sua recuperação. “Foram pessoas espetaculares. Estou muito grato por me terem ajudado a ultrapassar este episódio”, afirmou para depois recordar os tempos difíceis que vivenciou durante a adolescência.

“ [Em casa] havia sempre muita discussão. A minha mãe foi mãe muito jovem e eu tinha de estar sempre muito atento… Atento porque as discussões não podiam passar dali. Houve várias tentativas de suicídio de ambos e naquela fase conturbada, puxava toda a minha energia positiva”, referiu para depois completar. “A minha mãe chegou a ir parar ao hospital por causa dos comprimidos. Ela tentou matar-se. Estava caída na cama e eu liguei para o hospital. Era pequenino”.

Nessa altura, André foi para um psicólogo, mas nunca conseguiu abrir o seu coração na totalidade. “Eu não conseguia falar porque os meus pais me diziam para não contar se não vinham buscar-me. Tiravam-me deles. E ele [o psicólogo] topava-me pelos desenhos que eu fazia”, garantiu.

Apesar de tudo, o seu refúgio era em casa ao lado da sua cadela que faleceu no final do ano passado.

“No meio da escuridão, havia sempre uma luzinha pequenina a brilhar. É a fé. Eu podia ter ido por outros caminhos, ir pelo caminho da revolta, mas não … Aquela cadela foi o meu anjo. Ela estava sempre lá. Ela sentia quando estava feliz, quando estava triste”, frisou.

No final da conversa, André recebeu uma declaração da mãe que fez questão de mostrar todo o seu orgulho pelo filho que tem: “Apesar de tudo o que aconteceu, és e continuaras a ser o meu orgulho. Contigo eu aprendi a valorizar a vida porque quando tudo na minha vida desabada tu conseguiste tornar os meus dias mais belos, contigo aprendi a ser uma pessoa positiva. Tudo o que fizeste por mim… Foi isso que me ajudou a estar ao teu lado. Foste sempre um cuidador. Agora, foi a minha vez de cuidar de ti”.

Texto: Márcia Alves; Fotos: Redes Sociais

 

Impala Instagram


RELACIONADOS