Alerta bronca! Concorrente não respeita condições de participação no programa

De acordo com o regulamento de participação no programa os concorrentes são obrigados a ser amadores em gastronomia, algo que não acontece com pelo menos uma das participantes.

Alerta bronca! Concorrente não respeita condições de participação no programa

De acordo com o regulamento de participação no programa os concorrentes são obrigados a ser amadores em gastronomia, algo que não acontece com pelo menos uma das participantes.

Lélia pode estar em maus lençóis. A médica brasileira, uma das concorrentes da edição de MasterChef Portugal que se estreou na TVI no passado dia 1 de setembro, pode não cumprir as condições de participação no formato.

De acordo com as regras do concurso, «todos os participantes devem ser amadores», sendo «proibida a participação» a quem já tenha, anteriormente, «trabalhado ou prestado serviços de cozinheiro em restaurantes, empresas de catering ou outros estabelecimentos de restauração».

Ora, de acordo com as redes sociais de Lélia, esta não é «amadora» na arte da gastronomia e faz da sua casa em Lisboa um «estabelecimento de restauração». A concorrente aderiu ao «conceito internacional» de Supper Club, que «consiste em fazer uma refeição num ambiente familiar». Ou seja: através de marcação e do mediante o pagamento de uma determinada quantia, a médica transforma a sua ‘casa’ num restaurante, servindo refeições confeccionadas por si.

É precisamente na página oficial de Facebook deste negócio que Lélia diz ter formação nesta área. Passou, lê-se, pela Escola de Hotelaria e Turismo em Lisboa e  pela Associação dos Cozinheiros Profissionais de Portugal. Tem, ainda, formação em «cake design no Cake and Art – Rio de Janeiro», no Brasil.

 

Nas redes sociais, já partilhou imagens com as ementas que preparou e com quem acolheu. Pode ver algumas delas na galeria acima.

 

A Nova Gente sabe que há quem veja, por isto, a sua participação em MasterChef como injusta, uma vez que a experiência anterior de Lélia, radicada em Portugal há cerca de 30 anos, pode trazer-lhe vantagens no concurso.

 

O nosso site tentou obter uma reação da TVI, mas a estação de Queluz de Baixo não se pronunciou até à hora de publicação desta notícia.

Texto: Ana Filipe Silveira e André da Silva Carvalho; Fotos: TVI e Reprodução Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS