Ljubomir viu o primo ser baleado na cabeça: “Vi o cérebro dele a pulsar ao meu lado”

Esfaqueou o pai, espetou um garfo na mão de um chef, viu o primo ser baleado na cabeça… São muitas as histórias que Ljubomir Stanisic tem para contar!

Ljubomir viu o primo ser baleado na cabeça: “Vi o cérebro dele a pulsar ao meu lado”

Esfaqueou o pai, espetou um garfo na mão de um chef, viu o primo ser baleado na cabeça… São muitas as histórias que Ljubomir Stanisic tem para contar!

São muitas as histórias que o temível chef tem para contar. Os 17 anos que viveu na Jugoslávia fizeram dele um homem de fibra, mas apesar de todo o terror que viu, afirma não ter ficado traumatizado. “Aquilo que teve real influência na minha vida foi o que passei na ex-Jugoslávia”, conta o chef que chegou a Portugal a 31 de agosto de 1997.

Ljubomir considera que o que viu no seu país de origem, só o tornou mais forte: “tirei partido de tudo, e ainda bem. Sou como sou, graças a isso.”

Foi a partir de 1991 que o pesadelo na  antiga Jugoslávia começou para Ljubo, como é tratado pelos amigos. Recordando esses tempos, afirma ao blog Brilhantemente Insano:

“Tudo o que fiz até agora é muito melhor do que ficar em casa a bater com a cabeça na parede e a pensar: «Sou um coitadinho, estive na guerra e o meu primo foi abatido ao meu lado com um tiro na cabeça. Vi o cérebro dele a pulsar ao meu lado. Tinha apenas 12 anos. Fiquei traumatizado». Não, não fiquei traumatizado. Fiquei mais forte.”

 

Apesar da violência que admite estar em si, acredita que não advém de traumas de guerra: “Muitas pessoas ficam com traumas de guerra, mas eu não. Eu fiquei guerreiro. Tão simples como isso. Sou um gajo muito porreiro. A sério. Tenho é uma atitude um pouco agressiva durante o trabalho e também dentro da minha cozinha.”

Impala Instagram

Mais

RELACIONADOS