Marcus Rashford premiado pelo príncipe William por ajudar crianças vulneráveis

Marcus Rashford foi recebido no Castelo de Windsor para ser condecorado por ter prestado auxílio a crianças vulneráveis durante a pandemia da Covid-19. A distinção foi dada pelo príncipe William.

Marcus Rashford premiado pelo príncipe William por ajudar crianças vulneráveis

Marcus Rashford premiado pelo príncipe William por ajudar crianças vulneráveis

Marcus Rashford foi recebido no Castelo de Windsor para ser condecorado por ter prestado auxílio a crianças vulneráveis durante a pandemia da Covid-19. A distinção foi dada pelo príncipe William.

Marcus Rashford foi galardoado com um MBE, o prémio de Membro da Ordem do Império Britânico, por ter prestado serviços de auxílio a crianças vulneráveis no Reino Unido, durante todo o período da pandemia da covid-19. Nesta terça-feira, 10 de novembro, o internacional inglês foi recebido pelo príncipe William, no Castelo de Windsor, para receber a condecoração. O futebolista do Manchester United, de 24 anos, dedicou o prémio à sua mãe, Melanie, que o acompanhou na visita à Casa Real. Nas redes sociais, o colega de Cristiano Ronaldo não escondeu a felicidade por ter recebido o galardão.

“Uma honra passar a manhã com você. Obrigado por tornar o dia tão especial para mim e para a minha mãe. Muito orgulhoso”, escreveu nas redes sociais, em resposta a uma publicação feita pela página oficial dos duques de Cambridge. Marcus Rashford sensibilizou o governo britânico a distribuir refeições gratuitas às crianças desfavorecidas durante os confinamentos impostos por causa da pandemia da covid-19. “Tento dar às crianças aquilo que não tive quando era pequeno”, afirmou o futebolista, que conseguiu garantir, com a sua campanha, o apoio a cerca de 1,3 milhões de crianças nas férias escolares do verão de 2020.

Em setembro do mesmo ano, o avançado uniu-se a algumas das principais marcas alimentares do Reino Unido para combater a má nutrição infantil. “Dei-lhes apenas uma oportunidade e penso que a merecem. Que criança não merece? Para mim, é um castigo ver que não podem usufruir de uma refeição ou de livros. São pequenas mudanças, mas podem ter um grande impacto”, referiu. “Vejo a geração que se segue à minha como muito especial. Eles precisam apenas que alguém lhes indique o caminho certo e foi isso que eu fiz”, findou.

O príncipe William recorreu recentemente ao Twitter para abordar os insultos dirigidos a alguns dos jogadores ingleses após a derrota frente a Itália na noite deste domingo, 11 de julho, no desempate por grandes penalidades, na final do Euro 2020. O jogo foi, curiosamente, disputado em Londres, no Reino Unido. “Estou doente com os insultos racistas depois do jogo de domingo. É totalmente inaceitável que os jogadores tenham que suportar este comportamento detestável. Isto tem de acabar e todos os envolvidos devem prestar contas”, escreveu o duque de Cambridge, que é também o presidente da Football Association – a entidade que controla o futebol em Inglaterra (equivalente à Federação Portuguesa de Futebol em território nacional). Marcus Rashford, Jadon Sancho e Bukayo Saka falharam os respetivos penáltis e foram os mais visados pelos adeptos ingleses.

Texto: Mafalda Mourão; Fotos: Casa Real Britânica e D.R.

Impala Instagram


RELACIONADOS