Ator Bill Cosby julgado por agressão sexual, desta vez de uma menor

Bill Cosby volta a enfrentar a justiça. O novo julgamento civil contra o ator norte-americano tem lugar na Califórnia. Em causa está a agressão sexual a uma adolescente há quase 50 anos

Ator Bill Cosby julgado por agressão sexual, desta vez de uma menor

Bill Cosby volta a enfrentar a justiça. O novo julgamento civil contra o ator norte-americano tem lugar na Califórnia. Em causa está a agressão sexual a uma adolescente há quase 50 anos

O ator norte-americano Bill Cosby, de 84 anos, enfrenta novamente a justiça norte-americana, desta vez na Califórnia, onde esta segunda-feira começou um julgamento civil por ter agredido sexualmente uma adolescente há quase 50 anos. Depois de ter sido condenado por agressão sexual agravada, e depois libertado por erros processuais, o actor que em tempos era conhecido como “o pai da América” é novamente alvo de um processo movido por Judy Huth o acusa de a ter agredido sexualmente quando tinha apenas 15 anos, em 1974.

Mulher afirma ser mãe da filha de Victoria e David Beckham e alega roubo de óvulos
David e Victoria Beckham são perseguidos há cerca de um ano por uma mulher que alega ser mãe de Harper e fala em roubo de óvulos. A mulher chegou a aparecer na escola da filha do casal. O caso foi entregue às autoridades (… continue a ler aqui)

Judy Huth diz que conheceu Bill Cosby no ‘set’ de um filme. Segundo a visada, o ator convidou-a para o seu clube de ténis, dando-lhe álcool antes de levá-la para a Mansão da Playboy, onde a terá apalpado contra a sua vontade e obrigado a um acto sexual. A alegada vítima afirma ter sofrido sequelas psicológicas. O processo cível é por agressão sexual e o ator diz-se inocente deste crime – bem como daquele pelo qual foi condenado em 2018 por ter sedado e agredido sexualmente a ex-jogadora de basquetebol Andrea Constand. A primeira sessão do julgamento está agendada para 1 de Junho.

Bill Cosby foi libertado da prisão em junho de 2021, depois de o Supremo Tribunal da Pensilvânia revogar a sua sentença para um mínimo de três anos de prisão pela agressão sexual de 2004 a Andrea Constand, uma mulher que trabalhava na Universidade Temple, em Filadélfia. Em 2 de dezembro de 2014, Judy Huth apresentou uma queixa civil, mas o tribunal suspendeu o processo por causa das acusações criminais contra Bill Cosby na ocasião.

A decisão do Supremo Tribunal da Pensilvânia, em seguida, a rejeição de um recurso neste caso à Supremo Tribunal dos Estados Unidos em março de 2022, foi vista por muitos como um desprezo pelo #MeToo contra a violência contra as mulheres.

O Supremo Tribunal da Pensilvânia não desculpou Cosby, mas anulou a condenação por um defeito processual. O primeiro procurador encarregado do caso de Andrea Constand decidiu em 2005 não processar o Cosby em processos criminais, enquanto o encorajava a testemunhar em processos civis movidos pelo queixoso, o que o ator concordou em fazer.

Durante a audiência, o ator admitiu ter dado um sedativo a Andrea Constand antes de fazer sexo. Segundo Cosby foi consentido, porque Andrea Constand não protestou ou expressou a sua desaprovação, testemunho que foi usado contra o artista no julgamento criminal.

O novo julgamento civil contra Bill Cosby iniciou-se em Santa Mónica com a seleção do júri e os argumentos finais para a acusação e a defesa vão começar na próxima semana.

Foto: D.R.

Impala Instagram


RELACIONADOS