Ana Maria Braga chora morte de Tom Veiga

Morreu Tom Veiga, o ator brasileiro, de 47 anos, que dava vida ao papagaio Louro José, personagem criada por Ana Maria Braga. As causa da morte ainda não são conhecidas.

Ana Maria Braga chora morte de Tom Veiga

Ana Maria Braga chora morte de Tom Veiga

Morreu Tom Veiga, o ator brasileiro, de 47 anos, que dava vida ao papagaio Louro José, personagem criada por Ana Maria Braga. As causa da morte ainda não são conhecidas.

Morreu Tom Veiga, o ator brasileiro que dava vida ao papagaio Louro José. As causas da morte ainda não são conhecidos, sabendo-se apenas que o artista foi encontrado já sem vida, este domingo, na sua casa, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Tinha 47 anos e deixa quatro filhos.

Ana Maria Braga, a responsável pela criação da personagem Louro José, que era interpretado por Tom Veiga há 24 anos e que deixou milhões de brasileiros rendidos, já se pronunciou sobre a morte do colega e amigo com quem fazia contracena há mais de duas décadas.

“Perdi o meu parceiro de todo o dia, o meu amigo, o meu filho. O Tom era um menino de sorriso solto, sempre alegre, com um humor único e talentoso demais. A fragilidade da vida pegou-nos mais uma vez de surpresa e deixou-me completamente sem chão. O momento agora é de oração”, diz a apresentadora, devastada, nas redes sociais.

De assistente de estúdio a ator

O papagaio Louro José foi idealizado em 1996. Na altura na Record, Ana Maria Braga conduzia o programa “Note e Anote”, transmitido imediatamente a seguir a formatos dirigidos ao público infantil. O objetivo era claro: atrair a atenção desta faixa etária.

“Precisava de ser um bicho que falasse, que interagisse comigo, mas não podia ser um cachorro, porque um cachorro não fala, um passarinho não fala. E, por eliminação, decidimos pelo papagaio. Eu tenho um em casa chamado Louro José. Ele fala e assobia o hino nacional”, recordou, em tempos, a apresentadora.

Na altura assistente de estúdio, Tom Veiga foi o escolhido para manipular o boneco na sequência de um inusitado episódio. “Eu estava a brincar com o boneco na produção, tirando ‘sarro’ do pessoal que trabalhava connosco, e ela [Ana Maria Braga] viu e gostou. Disse-me: ‘Amanhã, entras no ar como Louro José, ’tá?'”, contou ele, em 2014.
Em 1999, com a saída de Ana Maria Braga para a Globo, Tom Veiga seguiu os passos da mãe televisiva.

O dia em que Cláudio Ramos conheceu Tom Veiga

Cláudio Ramos é um dos milhões de fãs abalados com o desaparecimento inesperado de Tom Veiga. Nas redes sociais, o apresentador da TVI assinalou a morte do ator que manipulava o papagaio Louro José recordando aos seguidores o seu trajeto profissional.

Depois, falou do dia em que o conheceu. “Um dia, num gesto de pura aventura e alguma inconsciência, fui conhecê-lo. Falámos pouco. Pareceu-me tímido no papel de Tom e solto no de Louro José. Lembro-me de o ver sentado na secretária e tentar imaginar aquele corpo – na altura muito franzino – na voz que ouvia todos os dias na televisão. Pode parecer estanho, mas Ana Maria Braga fez com que um boneco manipulado por um ator se tornasse no seu parceiro de televisão durante mais de 20 anos e conquistasse a credibilidade de todos”, realçou Cláudio Ramos.
E continuou: “Confesso, aprendi muito, muito, muito no improviso que ele e a Ana Maria faziam todos os dias. O Louro José era um boneco com alma humana que ficará para sempre na história da televisão brasileira. O Tom tinha 46 anos foi encontrado morto em sua casa no Rio de Janeiro. Não posso deixar de manifestar uma pequena homenagem. Eu tinha-lhe carinho. A notícia deixou-me triste. Isto é um sopro!”

Texto: Dúlio Silva; Fotografias: reprodução redes sociais

 

Impala Instagram


RELACIONADOS