Sem vontade de fazer sexo? Descubra a solução!

Sem vontade de fazer sexo? Descubra a solução!

O desejo sexual hipoactivo é um transtorno sexual que afecta as mulheres. Mas existe uma solução para o problema.

Um terço das mulheres nunca, ou quase nunca, tem vontade de fazer sexo. Um problema que muitas vezes preferem esconder, apesar de já haver solução para a maioria dos casos.

O desejo sexual hipoativo é um transtorno sexual que afecta cerca de 35 por cento da população feminina. Caracteriza-se pela diminuição ou mesmo ausência total de fantasias eróticas, ou de falta de desejo de praticar actividade sexual. No início, a maioria das mulheres acredita tratar-se de uma fase passageira e justifica a falta de vontade com o stress e o cansaço.

LEIA MAIS: Quer viver mais anos? Siga este conselho! [Estudo científico]

Mas, aos poucos, o mal instala-se, surge a vergonha em falar sobre o assunto e a angústia. É que esta não é uma doença que afecta apenas o indivíduo. A relação com o parceiro degrada-se rapidamente e é fácil entrar num ciclo vicioso que impede de viver um namoro ou casamento na sua plenitude.

A solução para voltar a ter vontade

Desequilíbrios hormonais

As mulheres são muito sensíveis às flutuações hormonais, sobretudo, à medida que se aproximam da idade da menopausa. O aumento de prolactina e a diminuição de testosterona ou de estrogénio podem causar uma baixa importante da motivação sexual. Nestes casos, o seu médico de família ou, se preferir, o ginecologista poderão prescrever-lhe hormonas de substituição para lidar com o problema e restituir o equilíbrio químico do corpo.

Doenças vaginais

Qualquer infecção ou nódulo na vagina provoca uma diminuição da libido. Se não for detetado e tratado a tempo, este tipo de problemas pode acarretar complicações graves. Por isso, é importante que todas as mulheres consultem um ginecologista pelo menos uma vez por ano, para fazer exames de rotina

Fatores culturais e sociais

Na sociedade ocidental é comum reprimir-se a sexualidade feminina. As meninas devem sentar-se de pernas fechadas e não podem ter prazer na cama. Este tipo de pensamentos ainda é abundantemente difundido e pode provocar traumas. Neste caso, os especialistas recomendam a ajuda de um sexólogo para, aos poucos, derrubar as ideias preconcebidas.

LEIA MAIS: Orgasmo ao «raio X» – Manual para chegar lá melhor e mais vezes

Fatores psicológicos

O stress e a depressão também são, frequentemente, grandes fatores de diminuição do desejo. Períodos de intensa tristeza podem acabar com o apetite sexual. O tratamento desses transtornos com antidepressivos pode fazer mais mal que bem, uma vez que grande parte dessas medicações possui efeitos colaterais que incluem a diminuição do desejo. Por essa razão, o tratamento de depressão deve ser ministrado e acompanhado por um psiquiatra.

Procure ajuda especializada

A vergonha e a falta de à-vontade para falar de um assunto tão íntimo continua a ser o principal inimigo das mulheres, o que dificulta a cura. Quanto mais tempo sofrer em silêncio, mais difícil e demorado será o tratamento. Se sente que perdeu a vontade de fazer amor, não hesite em consultar o seu médico o quanto antes. Ele tentará, em primeiro lugar, descobrir se o problema está relacionado com alguma questão orgânica. Se for o caso, é necessário o reencaminhamento para um ginecologista ou endócrinologista, para verificar se existe algum desequilíbrio hormonal. Se os resultados forem negativos será, então, encaminhada para um sexólogo, que tentará descobrir a origem do problema.

Uma questão de atitude

À velocidade com que vivemos o dia-a-dia é muito fácil esquecer-nos de fazer amor. Entre o trabalho, os filhos e as preocupações domésticas, chegamos a casa cansadas, sem vontade de nos mexermos. O segredo para contrariar este problema é reservar na agenda uma hora para ter sexo. Parece estranho, mas resulta.

LEIA MAIS: Estou grávida. Posso usar vibradores e outros brinquedos?

Em primeiro lugar, porque coloca o sexo na sua lista de prioridades, em segundo, porque permite antecipar e preparar o momento. Finalmente, porque cria um hábito que, com o tempo, irá recuperar os seus estímulos sexuais. Pode também reforçar essa ideia lendo contos ou vendo filmes eróticos. Ouça música romântica, prepare jantares a dois, organize fins de semana em quartos de hotéis. Procure preencher a sua vida de momentos sensuais e verá que o sexo estará de volta mais cedo do que imagina.

Inimigos da líbido

Como em tudo, terá todo o interesse em abandonar os maus hábitos. Se tem excesso de peso, pondere uma dieta, mas evite tratamentos demasiado agressivos. O álcool e o tabaco também afetam o apetite sexual e devem ser banidos. Não negligencie a forma como se veste e se arranja e redobre os cuidados de higiene. Invista em lingerie provocante. Quando mais bela se sentir, mais vontade terá de fazer amor.

Solução definitiva a caminho?

A indústria farmacêutica está a desenvolver uns comprimidos que prometem revolucionar a sexualidade feminina. O produto ainda está a ser testado, mas os resultados preliminares são animadores, pois duplicou o desejo sexual das mulheres que experimentaram. Contudo, ao contrário dos fármacos existentes para o sexo masculino, cujo efeito é imediato, a versão feminina terá de ser tomada cerca de três horas antes das relações sexuais.

LEIA MAIS: «Pensei suicidar-me por ter mais de 50 orgasmos por dia»

 

Siga a Impala no Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS