Granola: Aliada ou inimiga na luta por uma alimentação saudável?

A granola tem vindo a tornar-se um dos alimentos favoritos das mesas de pequenos-almoços. Será uma boa opção? A nutricionista Catarina Sofia Correia esclarece.

Granola: Aliada ou inimiga na luta por uma alimentação saudável?

Granola: Aliada ou inimiga na luta por uma alimentação saudável?

A granola tem vindo a tornar-se um dos alimentos favoritos das mesas de pequenos-almoços. Será uma boa opção? A nutricionista Catarina Sofia Correia esclarece.

A granola é um alimento que tem vindo a fazer parte dos pequenos-almoços e lanches sob o pretexto de ser um alimento mais saudável do que os cereais. Mas será mesmo assim?

LEIA DEPOIS
Sabia que comer demasiado bem também faz mal? Conheça os sintomas da Ortorexia

«Uma simples mistura de flocos de aveia, frutos secos, sementes, fruta, coco ou outro ingrediente à sua escolha, torna uma pequena refeição numa refeição equilibrada e bastante completa», explica a nutricionista Catarina Sofia Correia. E acrescenta: «Nos supermercados somos capazes de encontrar um corredor inteiro com diferentes granolas. Mas será assim uma opção tão saudável?»

A resposta a essa questão vai depender «dos ingredientes que fazem parte da composição de cada granola», explica. «As granolas ricas em sementes, aveia e frutos secos (como a amêndoa) estão associados a inúmeros benefícios».

«Redução dos níveis de colesterol, melhor saúde intestinal e pressão arterial»

«Por serem ricas em fibra e proteína, as granolas contribuem para uma longa sensação de saciedade uma vez que potenciam a libertação de hormonas responsáveis por essa sensação e aumentam o tempo de digestão, o que contribui para um maior controlo do apetite. Por outro lado, o consumo de granola também melhora a pressão arterial, reduz os níveis de colesterol, reduz a quantidade de açúcar no sangue, melhora a saúde intestinal e fornece um elevado teor de antioxidantes, importantes para combater as inflamações do seu corpo», garante a nutricionista.

A contrapartida está no facto de a maior parte das granolas possuir uma quantidade de açúcar e gordura elevada, podendo levar a aumento indesejável de peso e doenças metabólicas.

Escolha a melhor granola

De forma a evitar os efeitos indesejados, Catarina Sofia Correia aconselha à verificação da lista de ingredientes do rótulo das embalagens.

«Deve evitar-se as granolas que tenham como primeiros ingredientes as palavras “açúcar”, “xarope de glucose” ou até mesmo “mel”», informa, salientando que «a melhor granola é caseira».

«A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda um consumo de açúcar limitado a 10% do total de calorias consumidas por dia, o que equivale a, aproximadamente 50g. Algumas granolas possuem cerca de 17g de açúcar numa única porção de 30g», remata.

LEIA MAIS
Previsão do tempo para domingo, 17 de novembro

 

Impala Instagram


RELACIONADOS