Perder peso e mantê-lo pode ser mais eficaz com ajuda de médicos de família

Cuidado com as aplicações e os ‘remédios’ que prometem milagres. As três melhores formas de perder peso podem ser indicadas e acompanhadas pelos médicos de família.

Perder peso e mantê-lo pode ser mais eficaz com ajuda de médicos de família

Perder peso e mantê-lo pode ser mais eficaz com ajuda de médicos de família

Cuidado com as aplicações e os ‘remédios’ que prometem milagres. As três melhores formas de perder peso podem ser indicadas e acompanhadas pelos médicos de família.

Perder peso, e mantê-lo – de forma saudável e aparentemente definitiva –, pode ser mais fácil – e aconselhado – quando acompanhado por médicos de família. São estas as conclusões da escocesa Claire Madigan, especialista em medicina comportamental, desporto e bem-estar na Universidade de Loughborough, e da australiana Liz Sturgiss, médica de clínica geral e investigadora em cuidados primários de saúde da Universidade de Monash.

Para as pessoas que procuram perder peso, “pode ser difícil saber por onde começar”. Não existem apenas milhares de programas e aplicações de telemóvel de perda de peso para escolher. Há, igualmente, infindáveis conselhos – muitas das vezes “confusos e contraditórios” – sobre perda de peso “encontrados on-line ou em revistas”.

A melhor pessoa para nos ajudar a perder peso podem ser “os nossos médicos de família”, como se comprovou na mais recente revisão de vários estudos académicos liderada por aquelas duas cientistas. “Descobrimos que os programas de perda de peso oferecidos por clínicos gerais (médicos de família) e pelas suas equipas podem ajudar as pessoas a perder peso e a reduzir o tamanho da cintura. Também descobrimos que as pessoas conseguem manter a perda de peso, mesmo depois de dois anos.”

Para ler depois
Comer seringas-do-mar reverte o envelhecimento
Os cientistas podem ter encontrado a fonte da eterna juventude, depois de descobrirem que as ascídias, conhecidas por seringas-do-mar, revertem o envelhecimento (… continue a ler aqui)

Para realizar a revisão dos estudos, foram analisados “27 estudos, com dados de 8 mil pessoas”. Foram encontradas “muitas variações” nos múltiplos programas de perda de peso. Alguns “envolveram participantes que tiveram apenas uma breve sessão de aconselhamento” com um médico, mas outros envolveram “várias visitas” ao médico. A duração dos programas também variou – “de três meses a três anos”. A maioria das sessões “foi realizada pessoalmente” e algumas foram “feitas por telefone ou online”. Em alguns estudos, “enfermeiros, nutricionistas e ‘treinadores’ de saúde também participaram nos conselhos sobre perda de peso”.

Os conselhos que os médicos de clínica geral davam aos participantes incluíam geralmente “educação sobre o aumento da atividade física e a redução da ingestão de calorias autocontroladas”. Em alguns casos, os estudos incluíam “pesagens e feedback para motivar os pacientes”. Alguns estudos também “colocavam os médicos de família a aconselharem dietas específicas e planos de treino estruturados”.

Para ler também
Como a inflação fez disparar o preço de um hambúrguer
O hambúrguer está mais caro em todo o mundo, reflexo da inflação que fez disparar o preço dos ingredientes para este ícone da fast food (… continue a ler aqui)

Claire Madigan e Liz Sturgiss descobriram que, “após um ano, os que tiveram ajuda do médico perderam em média mais 2,3 e 3,7 quilos do que as pessoas que não receberam acompanhamento e aconselhamento constantes do médico de família”. Embora esta diferença na perda de peso “possa parecer pequena, mesmo a perda de 2% a 5% do peso corporal pode trazer uma série de benefícios à saúde”. Por exemplo, a “melhoria dos níveis de açúcar no sangue”. As especialistas comprovaram ainda que as pessoas que perderam peso com a ajuda do médico de clínica geral “mantinham cerca de 80% do peso quando acompanhadas”, dois anos depois.

Perder peso de forma eficaz

quanto mais contato uma pessoa tiver com seu médico, melhor. Os pacientes que viram seu médico de família pelo menos 12 vezes durante o programa perderam a maior quantidade de peso
“Quanto mais contacto tivermos com o nosso médico, melhor. Os pacientes que consultaram o médico de família pelo menos 12 vezes durante o programa perderam a maior quantidade de peso”

Não terá sido surpreendente, por essa razão, que as investigadoras descobriram que “quanto mais contacto tivermos com o nosso médico, melhor”. “Os pacientes que consultaram o médico de família pelo menos 12 vezes durante o programa perderam a maior quantidade de peso.”

“Descobrimos também que os dois programas que levaram à maior perda de peso num período de 12 meses foram aqueles que usaram um plano de substituição total da dieta. As substituições totais da dieta envolvem a substituição de alimentos por vários produtos de fórmula, como batidos, e fornecem entre 800 e 1.200 calorias por dia. Estes são usados ​​principalmente em pessoas com altos níveis de açúcar para tentar reverter a diabetes tipo 2. No entanto, qualquer pessoa com obesidade pode usá-los para perder peso rapidamente.

O terceiro melhor programa envolveu “sessões semanais nos primeiros seis meses”, seguidas de “sessões mensais durante 18 meses”. No primeiro mês, “os participantes receberam alimentos pré-embalados e batidos substitutos de refeição”. A substituição de alimentos “pode ser mais fácil no início, pois os pacientes não têm de decidir que alimentos cozinhar”.

Para ler ainda
Varíola dos macacos e o medo de uma nova pandemia
A nova doença viral varíola dos macacos tem feito notícia e levantando inúmeras questões. Fabiano de Abreu Agrela, biólogo, ajuda a retirar dúvidas (… continue a ler aqui)

“As nossas descobertas indicam que ter o tipo certo de ajuda e de aconselhamento pode tornar-se mais fácil para as pessoas manterem um programa de perda de peso – e manter esse peso a longo prazo. Sabe-se, “por outras experiências”, que “ter um plano de perda de peso pode ajudar as pessoas a emagrecer melhor do que aquelas que seguem programas autovigiados”.

“Sabemos, por outras investigações, que programas comerciais de perda de peso (como Vigilantes do Peso ou Mundo do Emagrecimento) também podem ajudar os pacientes a perderem entre 0,8 kg e 2,7 kg em média, num ano, em comparação com aqueles que não participaram nesses programas. Embora possam ter “sucesso moderado a ajudar as pessoas a perderem peso”, a desvantagem é a de que, “geralmente são realizados num ambiente de grupo, são por norma oferecidos apenas em comunidades mais populosas e são caros”, o que pode ser “desanimador para algumas pessoas”.

No entanto, “larga maioria das pessoas tem acesso a um médico de família, o que pode ser outro motivo pelo qual os conselhos de perda de peso dados por estes clínicos podem ser úteis para quem precise ou queira perder peso”. O estudo de Claire Madigan e Liz Sturgiss também “mostra que ter um relacionamento de confiança com o médico de família pode tornar os tratamentos – como programas de perda de peso – mais bem-sucedidos”.

Para ler mais tarde
Vício em pornografia: o que é, quais os sinais e como procurar ajuda
Tal como outras adições, o vício da pornografia pode e deve ser tratado. Conheça os sinais e como pode procurar ajuda para a cura desta doença (… continue a ler aqui)

“No futuro, veremos se estes programas são eficazes para diferentes grupos étnicos, géneros e pessoas que vivem com privações. Muitos estudos não relatam algumas destas características e por essa razão devemos certificar-nos de que estamos a reduzir as desigualdades e a oferecermos estes programas a toda a população.”

Uma “consideração importante em tudo isto” é que “os médicos estão sobrecarregados – e muitas vezes não têm tempo para se dedicarem a programas de perda de peso”. “O nosso estudo, contudo, também mostrou que conselhos promovidos por outros profissionais de saúde que trabalhem com os médicos de família, como enfermeiros ou nutricionistas, também obteve bons resultados. Se quer perder peso, o melhor programa é muito provavelmente aquele que optará por seguir. Mas falar com o seu médico de família pode ajudar, especialmente se não souber por onde começar”, concluem Claire Madigan e Liz Sturgiss.

Impala Instagram


RELACIONADOS