Os superiates russos confiscados (e aqueles que conseguiram fugir)

Serão já 12 os superiates de oligarcas russos confiscados por causa das sanções impostas internacionalmente pela invasão da Ucrânia, em 24 de fevereiro.

Os superiates russos confiscados (e aqueles que conseguiram fugir)

Serão já 12 os superiates de oligarcas russos confiscados por causa das sanções impostas internacionalmente pela invasão da Ucrânia, em 24 de fevereiro.

Entre os iates mais megalomaníacos retidos na Europa estão alguns dos mais conhecidos, por pertencerem a russos agora sancionados, pelo menos de acordo com informações do Russian Asset Tracker e de vários outros relatórios divulgados pela Forbes e por outros meios de comunicação social. O Crescent, atualmente ancorado em Tarragona, na costa mediterrânea espanhola, está ligado ao CEO da Rosneft, Igor Sechin. Com um valor aproximado de 550 milhões de euros e um comprimento de pouco acima dos 135 metros, é um dos maiores iates do mundo. Possui piscina com fundo de vidro, hangar de helicóptero e um átrio em vidro de dois andares.

O Crescent, superiate russo atualmente atracado na costa mediterrânea espanhola, está ligado ao sancionado Igor Sechin. Vale aproximadamente de 550 milhões de euros e tem o comprimento de 135 metros, um dos maiores iates do mundo

Outra enorme embarcação – apreendida pelas autoridades durante reparos em Hamburgo, na Alemanha – é o Dilbar, de Alisher Usmanov, da Metalloinvest. É o iate com maior volume interior do mundo e tem um comprimento impressionante de 155 metros. Acredita-se que o iate tenha sido ainda mais caro do que o Crescent, em 2016. Finalmente, o maior iate à vela do mundo, o SY A de três mastros, que está retido em Trieste, na Itália, e pertence a Andrey Melnichenko, da EuroChem e da empresa de carvão SUEK.

Vários outros dos maiores superiates de propriedade de oligarcas russos sancionados estão atualmente fora do alcance das autoridades ocidentais. Os navios foram avistados nas Maldivas, no Dubai ou Turquia – todos países que não impuseram sanções a indivíduos russos e não têm acordos de extradição com o Ocidente. Na Turquia estão atualmente dois barcos dos iates do em breve ex-presidente do Chelsea, Roman Abramovich.

Crescent, um dos maiores iates do mundo confiscado em Espanha

Comparado ao valor destes enormes barcos, alguns outros superiates que os países europeus detiveram parecem bastante modestos, apesar de altamente luxuosos. Os únicos avaliados em mais de 100 milhões de euros foram o Valerie, de Sergei Chemezov, confiscado pelas autoridades espanholas, e outro dos iates de Igor Sechin, o Amore Vero, detido em França. Os preços de entrega dos dois barcos são desconhecidos, o que significa que o valor atual dos barcos construídos em 2013 e 2011, possa entretanto ter descido.

Outras detenções de superiates altamente divulgadas incluíram o Lady M, de Alexey Mordaschov, e o Lena, de Gennady Timchenko, ambos retidos na Itália. Os navios estão avaliados em 25 milhões de euros e 7,3 milhões, considerando a perda de valor após a entrega. O único outro iate de valor superior a 50 milhões de euros pertencente a um bilionário russo sancionado foi detido nas ilhas de Maiorca, o Tango de Victor Vekselberg. A última captura foi a de um superiate de 35,2 milhões de euros, de um empresário russo não identificado, que foi confiscado pelas autoridades britânicas em Canary Wharf, Londres, informou o The Guardian.

Infographic: The Frozen Russian Superyachts (And Those That Got Away) | Statista

Statista

Impala Instagram


RELACIONADOS