Megan Prescott, de atriz de série premiada a stripper que vende conteúdos para adulto

Megan Prescott, atriz britânica que brilhou na série Skins, revela que passou a trabalhar como stripper e a vender conteúdos para adultos para pagar contas.

Megan Prescott, de atriz de série premiada a stripper que vende conteúdos para adulto

Megan Prescott, atriz britânica que brilhou na série Skins, revela que passou a trabalhar como stripper e a vender conteúdos para adultos para pagar contas.

Ganhou fama ao ser uma das estrelas da polémica série Skins. Agora, aos 31 anos, Megan Prescott vende conteúdos para adultos no OnlyFans e tem vindo a trabalhar ao longo dos últimos anos como stripper. Esta é a nova vida de atriz britânica que se viu obrigada a seguir este caminho para pagar as contas depois de ter ficado sem trabalho em abril de 2020 devido à pandemia.

Cardi B revela que drogou e roubou homens quando era stripper
Revelado vídeo em que Carbi B confessa como lidava com os homens que pagavam para ter sexo consigo (… continue a ler aqui)

Foi numa conversa com o The Sun que Megan Prescott foi sincera em relação aquilo que tem vindo a fazer ao longo dos últimos tempos. “Se não fosse o OnlyFans não teria conseguido sobreviver nos últimos dois anos sem trabalhar sete dias por semana”, desabafa. “Não tinha dinheiro nenhum e uma amiga que trabalha como stripper há anos disse-me que era garantido que as pessoas se inscreveriam [na sua conta no OnlyFans] porque me viram em Skins”, prossegue. “Pensei em experimentar e correu muito bem. Só faço o que me deixa confortável e entro quando quero porque é algo que exige muito de mim”, acrescenta.

“Se não fosse o OnlyFans não tinha conseguido sobreviver nos últimos dois anos”

A atriz também tem trabalhado como stripper em clubes noturnos, mas é da opinião de que na internet é tudo mais tranquilo. “Não precisas de trocar o dia pela noite ou discutir com as pessoas sobre preços. E as pessoas são incrivelmente educadas”, refere. “Estou numa posição muito mais privilegiada do que algumas pessoas na indústria do sexo. Mas para mim, [o trabalho] tira-me o stress de conseguir pagar contas e permite-me ter energia para ser criativa”, salienta.

O facto de ter gravado cenas de sexo em Skins deixou Megan Prescott mais à vontade no momento de gravar conteúdos explícitos para a plataforma ou mesmo atuar em clubes de strip. “Uma vez que danças nua, o nervosismo desaparece muito rapidamente e isso torna-se bastante divertido. A sociedade faz parecer vergonhoso, mas na verdade não é”, defende. Ainda assim, não esconde que ficou com receio de ser reconhecida quando conseguiu emprego num clube. “Estava com medo de que algo se tornasse viral, mas na época não estava a conseguir trabalho como atriz e não tinha agente. Sabia que poderia ganhar muito dinheiro [como stripper]”, conclui.

Por fim, revela porque nunca tinha contado o que tem vindo a fazer. “Por causa do estigma que existe sobre o trabalho sexual, especialmente se és atriz. Isso potencialmente acaba com a carreira de uma mulher, apesar de as pessoas adorarem ver Channing Tatum quando aparece de fio dental neon [no filme Magic Mike]”, conclui.

Texto: Bruno Seruca; Fotos: Reprodução Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS