Depois do Mundial, Quaresma alegrou as crianças no IPO do Porto [vídeo]

Mundial 2018 por Nuno Farinha: O cigano de ouro e a sorte de Ronaldo

Mundial 2018 | Uns dizem que foi um remate de ‘3 dedos’. Outros um ‘corte com a parte de fora do pé’. Mas o que o Mundo viu foi a trivela do Quaresma.

Adrien. Cedric. Quaresma. Adrien. Outra vez Quaresma. E poesia. Já após o minuto 45, pouco antes do apito para o intervalo, um dos momentos de maior beleza plástica do Mundial 2018 aconteceu no Irão-Portugal partiu do pé direito de Ricardo Quaresma.

Mais concretamente da parte exterior. Há os que dizem, em gíria futebolística, que aquilo foi um remate de ‘3 dedos’. Outros chamam-lhe um ‘corte com a parte de fora do pé’. Em bom português, na realidade, o que o Mundo viu foi a famosa trivela do Quaresma.

Mundial 2018 | «O que fica para memória futura é aquela obra de arte de Ricardo Andrade Quaresma Bernardo, o cigano que continua a deslumbrar-nos

A palavra consta na Infopédia (Dicionários Porto Editora) e está classificada da seguinte forma – «Nome feminino. (Futebol). Pontapé dado na bola com o lado externo do pé para dar à bola um efeito especial».

Duvido, para começar, que a designação ali estivesse consagrada antes de Ricardo Quaresma ter popularizado o gesto técnico. Uma trivela do Quaresma não é uma trivela qualquer. É a do Quaresma.

Tem marca de autor e, por mais que vejamos outras, aquela é sempre diferente. Nada se compara ao movimento que o ‘Harry Potter’ repetiu vezes sem conta nos 15 anos de carreira que já leva. Toda a gente sabe que vai acontecer. Só não sabemos é quando.

Mundial 2018 | «Uns dizem que foi um remate de ‘3 dedos’. Outros um ‘corte com a parte de fora do pé’. Mas o que o Mundo viu foi a trivela do Quaresma»

No escaldante duelo na Mordovia Arena, em Saransk, jogava-se a qualificação para os oitavos-de-final do Mundial. Podia acontecer qualquer coisa. Da festa à desilusão. Da goleada ao empate. Estava tudo em aberto.

O mais natural, porém, seria Portugal seguir em frente. Um desaire representaria o fim do sonho e a esta hora os nossos jogadores já estariam a regressar a casa.

Mas, acontecesse o que acontecesse, nada nos poderia apagar da memória momento em que Quaresma recorreu à cartola, ao coelho e ao baralho de cartas.

O que fica para memória futura do Irão-Portugal é mesmo aquela obra de arte de Ricardo Andrade Quaresma Bernardo, o cigano que aos 34 anos (quase 35) continua a deslumbrar-nos tal e qual como na primeira vez. Um craque!

Mundial 2018 | «Fernando Santos terá coragem para voltar a sentar Quaresma no banco de suplentes? Ninguém acredita, pois não?»

Já agora, ao anteciparmos o jogo dos ‘oitavos’, contra o Uruguai, no próximo sábado, a pergunta é esta: Fernando Santos terá coragem para voltar a sentar Quaresma no banco de suplentes? Ninguém acredita, pois não?

PS: O estatuto de estrela planetária de Cristiano Ronaldo salvou-o de um cartão vermelho direto, com consequências muito difíceis de prever. Qualquer outro jogador de Portugal que tivesse protagonizado aquele mesmo lance tinha ido, seguramente, mais cedo para o balneário. Um penálti desperdiçado e um cartão vermelho teria sido um desatre. Do mal, o menos. O erro do árbitro paraguaio (Enrique Caceres) foi evidente. Ou é vermelho ou não é nada. Amarelo é que não.

PS2: A sorte nunca nos abandonou nos três jogos da primeira fase. Que continue assim. Bem precisamos.

Nuno Farinha, jornalista
#convocado para o #Mundial2018

LEIA MAIS: «O efeito Bruno de Carvalho»

LEIA MAIS: «Bola de Ouro n.º 6»

LEIA MAIS: «Quem tem Cristiano…»


ÚLTIMOS ARTIGOS

Mundial 2018 por Nuno Farinha: O cigano de ouro e a sorte de Ronaldo

Mundial 2018 | Uns dizem que foi um remate de ‘3 dedos’. Outros um ‘corte com a parte de fora do pé’. Mas o que o Mundo viu foi a trivela do Quaresma.