Mundial 2018 por Nuno Farinha: Cristiano, dá para repetir?

Mundial 2018 por Nuno Farinha: Cristiano, dá para repetir?

O banquete que Cristiano Ronaldo serviu ao Mundo no dia da estreia no Mundial 2018 produziu um duplo efeito: os portugueses ficaram com água na boca.

O banquete que Cristiano Ronaldo serviu ao Mundo no dia da estreia no Mundial 2018 produziu um duplo efeito: os portugueses ficaram com água na boca e a concorrência ficou em sentido.

Dizem os livros que não há segunda oportunidade para causar uma boa primeira impressão. E, assim sendo, o que CR7 fez foi aproveitar a oportunidade de forma poderosa e arrebatadora.

Um show de 90 minutos que o torna, para já, na grande figura deste Campeonato do Mundo – muito acima dos rivais Lionel Messi e Neymar Jr.

É verdade que, para nós, ainda está quase tudo por fazer. A obra-prima de Ronaldo foi uma explosão individual, com claros benefícios para o coletivo, mas que valeu ‘apenas’ 1 ponto.

É preciso dar continuidade ao ‘quase-milagre’ que conseguimos frente a Espanha. Não dá mesmo para facilitar porque qualquer deslize no jogo contra Marrocos poderia ser visto como um passo atrás, com todas as dúvidas que poderiam daí resultar.

Mundial 2018 | «Para que tudo faça sentido, é preciso somar 3 pontos [diante de Marrocos] e pôr de imediato um pé nos oitavos-de-final»

Mundial 2018 por Nuno Farinha: Cristiano, dá para repetir?
José Fonte, Manuel Fernandes e Gelson Martins espreitam oportunidade neste Mundial 2018

Agora, para que tudo isto faça sentido, é preciso somar 3 pontos já hoje pela hora do almoço e pôr de imediato um pé nos oitavos-de-final, onde iremos encontrar, muito provavelmente, Rússia ou Uruguai.

Mas isto somos nós, jornalistas, a ‘navegar na maionese’. Felizmente que Fernando Santos não permite que ninguém se adiante aos acontecimentos.

O foco, por enquanto, só pode ser um: Marrocos. Como no Europeu do nosso contentamento, em 2016, fizemos toda a primeira fase só com empates, há quem diga que devemos continuar assim, porque vamos no bom caminho.

Não concordo. Por via das dúvidas, é melhor começar já a ganhar. Convém não abusar da sorte. E aproveitar o pé quente de Cristiano.

«Federação Portuguesa de Futebol anuncia reforço de luxo para dirigir o canal de televisão ’11’, Nuno Santos»

PS: A Federação Portuguesa de Futebol anunciou um reforço de luxo para dirigir o canal de televisão que irá ter no ar a partir de março de 2019: Nuno Santos.

O projeto ’11’ (assim se chamará a plataforma de conteúdos da FPF) ainda está no tubo de ensaio e já vai gerando as mais altas expectativas.

Não basta ir dizendo que os portugueses são apaixonados por futebol. É preciso, depois, dar-lhes aquilo que eles merecem. O dia está a chegar.

«O meu amigo tomou a decisão que também eu tomaria. Um abraço, Diogo!»

PS2: O meu amigo Diogo estava a estudar no Brasil, há 4 anos, quando se disputou lá o Campeonato do Mundo de Futebol. Ficou logo aí feita a promessa de vir a estar na Rússia a acompanhar a nossa Seleção.

Em dezembro do ano passado, assim que se conheceram as datas dos jogos (e as cidades), o Diogo agarrou-se à Internet e organizou a viagem.

Como foi impossível garantir bilhete para o jogo inaugural (Espanha), a ‘aventura’ começaria apenas no dia 18 (esta 2.ª feira) e duraria uma semana, até ao jogo contra o Irão.

Mas a vida tem essa rara capacidade de fazer chegar as melhores e as piores notícias sem aviso prévio. No dia da partida, já com a mala pronta, a poucas horas de arrancar para o Aeroporto de Lisboa, tudo parecia perfeito.

Até ter chegado aquele telefonema a informar que o seu pai (Sr. Lino) tinha morrido. O que aconteceu daqui para a frente já não vale a pena contar.

A não ser que o meu amigo tomou a decisão que também eu tomaria. Um abraço, Diogo!

Nuno Farinha, jornalista
#convocado para o #Mundial2018

LEIA MAIS: «Maradona e a madre que o pariu!»

LEIA MAIS: «Cristiano, 3 – Lionel, 0»

LEIA MAIS: «Como estão essas costas, Cristiano?»


ÚLTIMOS ARTIGOS

Mundial 2018 por Nuno Farinha: Cristiano, dá para repetir?

O banquete que Cristiano Ronaldo serviu ao Mundo no dia da estreia no Mundial 2018 produziu um duplo efeito: os portugueses ficaram com água na boca.