Treinador do Vitória quer iniciar “ciclo positivo” em Barcelos

O treinador João Henriques frisou hoje que o Vitória de Guimarães quer iniciar um “ciclo positivo” de resultados em Barcelos, com um triunfo no reduto do Gil Vicente, para a sexta jornada da I Liga portuguesa de futebol.

Treinador do Vitória quer iniciar

Treinador do Vitória quer iniciar “ciclo positivo” em Barcelos

O treinador João Henriques frisou hoje que o Vitória de Guimarães quer iniciar um “ciclo positivo” de resultados em Barcelos, com um triunfo no reduto do Gil Vicente, para a sexta jornada da I Liga portuguesa de futebol.

Insatisfeito com a derrota caseira na receção ao Sporting de Braga (1-0), na jornada anterior, o ‘timoneiro’ vimaranense disse que os seus jogadores não querem “acumular situações que não são favoráveis”, tendo alertado para a necessidade do regresso aos triunfos, no domingo.

“Queremos iniciar um ciclo positivo. Queremos entrar num novo ciclo com a conquista de pontos em Barcelos. Desde que entrei [para treinador do Vitória], encontrei um ciclo curioso: primeiro no Bessa, com um clássico cheio de rivalidade [triunfo por 1-0 sobre o Boavista], depois em casa no dérbi do Minho [derrota por 1-0] e agora novamente com outro dérbi do Minho, antes de recebermos o Sporting em casa”, disse, na antevisão ao duelo marcado para as 17:30.

Ao fim de três semanas de trabalho em Guimarães, após ter substituído Tiago Mendes, João Henriques afirmou que a formação vitoriana está cada vez mais “forte” e “sólida”, precisando sobretudo de ter mais “remates” e de ganhar “presença na área”, numa fase em que soma dois golos marcados – tem o pior ataque do campeonato, a par do Belenenses SAD.

O técnico natural de Tomar referiu mesmo o golo de Marcus Edwards, frente ao Boavista, e o remate de Quaresma ao lado, diante do Braga, como exemplos de lances com presença na área, que deseja ver repetidos com mais frequência.

“Temos trabalhado a finalização e os posicionamentos da equipa. É um trabalho de alguma paciência, que vai ter os seus frutos porque as individualidades estão cá e têm qualidade”, observou.

O treinador deseja um Vitória mais “perigoso e eficaz” já no domingo, perante um opositor que, na época passada, fez do seu estádio o “local onde conquistou mais pontos” – somou 28 dos 43 nessa condição -, “perigoso nas transições” para o ataque e organizado, apesar dos três golos sofridos na reta final do jogo anterior, com o Sporting (3-1).

“O Gil Vicente demonstrou que é uma equipa consistente, organizada, com boas individualidades, já sabe o que tem de fazer coletivamente, as ideias que foram trazidas por este treinador”, disse.

Os vimaranenses contrariam a escassa produção ofensiva com a defesa menos batida da prova – dois golos sofridos -, e João Henriques disse encarar com “grande confiança e tranquilidade” as alterações a fazer na defesa, face à ausência de Jorge Fernandes, castigado por dois jogos após a expulsão frente ao Sporting de Braga, e aos regressos de Sacko, Abdul Mumin, Yann Bisseck e Gideon Mensah.

Questionado sobre a capacidade do plantel, jovem e remodelado, para atingir um lugar europeu no final da época, João Henriques realçou que o Vitória atravessa um “processo evolutivo que leva tempo”, mas lembrou que um projeto assim só é “sólido”, com triunfos pelo meio e “lutando sempre pelos três pontos”.

O Vitória de Guimarães, oitavo classificado da I Liga, com sete pontos, defronta o Gil Vicente, 13.º, com cinco, em partida da sexta jornada, agendada para as 17:30 de domingo, no Estádio Cidade de Barcelos, com arbitragem de Gustavo Correia, da Associação de Futebol do Porto.

TYME // AMG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS