Treinador do Nacional quer ganhar e regressar às vitórias frente ao Marítimo

O treinador do Nacional disse hoje desejar “regressar às vitórias” na receção ao Marítimo, em jogo da 23ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, sentindo o seu grupo “muito comprometido e unido” para atingir esse fim.

Treinador do Nacional quer ganhar e regressar às vitórias frente ao Marítimo

Treinador do Nacional quer ganhar e regressar às vitórias frente ao Marítimo

O treinador do Nacional disse hoje desejar “regressar às vitórias” na receção ao Marítimo, em jogo da 23ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, sentindo o seu grupo “muito comprometido e unido” para atingir esse fim.

O Nacional vem de um ciclo negativo, com derrotas consecutivas frente a Farense, Belenenses SAD, Sporting de Braga e Paços de Ferreira, mas Luís Freire tem boas expectativas para o dérbi madeirense com o Marítimo.

“Independentemente do que se está a passar, estamos dentro dos objetivos, que é claramente a permanência e tudo vamos fazer para o conseguir”, afirmou convictamente.

Apesar de tudo, Luís Freire considera que o jogo com o Marítimo “é um dérbi bom de se jogar, onde toda a gente gosta de participar”, mas notou que para a sua equipa é “mais um jogo do campeonato”, no qual tem o “objetivo da vitória”.

O Marítimo mudou de técnico, com a saída de Milton Mendes e a entrada de Julio Velásquez, mas o técnico desvalorizou o facto.

“Não me interessa muito se houve ‘chicotadas’ no outro lado ou se deixou de haver. Interessa-me é o meu grupo e o meu clube e é nisso que estamos completamente concentrados, tendo um objetivo claro que é ganhar e aumentar a vantagem para um concorrente direto e continuar o nosso trajeto, subindo na tabela”, enalteceu.

Contudo, a mudança no comando técnico do Marítimo poderá, em termos táticos, ser uma surpresa para o Nacional. “O Marítimo já jogou ao longo da época em vários sistemas, e ao longo do campeonato também já apanhámos vários nas diversas equipas e estamos habituados a isso. Independentemente do que venha do lado de lá, interessa é aquilo que vamos fazer e com que os outros também têm de se preocupar”, avaliou o técnico dos ‘alvi-negros’.

Apesar de faltarem apenas 12 jogos para o final da I Liga, Luís Freire garantiu que “é prematuro estar a falar em finais”, mas reconheceu que “há jogos importantes e este é um deles, pois é frente a um concorrente direto”.

Assegurando ter “um grupo extremamente comprometido”, o treinador disse sentir que a “equipa está muito junta, unida e querendo regressar às vitórias, independentemente do adversário”.

“Temos que olhar para nós e para o nosso campeonato. O Marítimo está numa luta igual à nossa. Sabemos da oportunidade que temos de ser felizes e vamos tentar agarrar com tudo essa oportunidade. O nosso objetivo é ganhar para atingir os nossos objetivos”, declarou, ressalvando ainda que “a motivação não vem dos treinadores, mas sim das vitórias”.

A falta de público em nada condicionará a prestação das equipas, embora Luís Freire tenha reconhecido que, apesar de os adeptos não estarem presentes, “estarão presentes” até ao fim dentro da equipa.

“O Nacional é um clube muito grande, que representa uma região e nós temos essa plena noção e este grupo irá fazer o tudo por tudo para dar alegrias aos adeptos e ficar na I Liga”, concluiu.

Fora da equação para a partida com o Marítimo estão Rúben Micael e Pedrão por razões disciplinares e Daniel Guimarães lesionado.

O Nacional, 13.º com 21 pontos, recebe na sexta-feira no Estádio da Madeira, no Funchal, a partir das 20:30, o Marítimo, 18.º e último, com 18 pontos, em partida relativa à 23.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, que será arbitrada por Hugo Miguel da Associação de Futebol de Lisboa.

JOYF // AMG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS