Treinador do Marítimo lembra os 38 anos consecutivos na I Liga e garante o 39.º

O treinador do Marítimo lembrou hoje que o emblema insular está há 38 anos consecutivos na I Liga de futebol, garantindo que vai fazer o 39º na próxima temporada, apesar de ocupar o último lugar, sem qualquer ponto somado.

Treinador do Marítimo lembra os 38 anos consecutivos na I Liga e garante o 39.º

Treinador do Marítimo lembra os 38 anos consecutivos na I Liga e garante o 39.º

O treinador do Marítimo lembrou hoje que o emblema insular está há 38 anos consecutivos na I Liga de futebol, garantindo que vai fazer o 39º na próxima temporada, apesar de ocupar o último lugar, sem qualquer ponto somado.

Na antevisão à visita ao Boavista, da nona jornada da I Liga, João Henriques abordou o lance caricato na ronda anterior frente ao Casa Pia, que culminou com a expulsão do lateral Vítor Costa e a marcação de grande penalidade que deu a vitória aos lisboetas (2-1). Apesar de reconhecido o erro pelo Conselho de Arbitragem, o atleta maritimista vai cumprir na mesma a suspensão, falhando o embate no Bessa.

“Aquilo que foi dito, tanto por mim como pelo clube no final do jogo, está dito, é passado. O Marítimo tem 38 anos consecutivos na I Liga e vai fazer o 39.º na época seguinte. Esta é a nossa convicção. Não conseguimos controlar o que está para trás, mas conseguimos o que está para a frente e, é isso que vamos fazer”, destacou o técnico, de 49 anos.

O sucessor de Vasco Seabra no comando técnico ‘verde rubro’ admitiu que o plantel se sentiu injustiçado, o que fez com que “a família maritimista ficasse mais unida, porque sabe que está melhor e muito perto de conquistar pontos”.

“Deu-nos mais alento para estarmos ainda mais juntos e procurar o que ambicionamos. Estar numa oitava jornada sem pontos não é normal para qualquer equipa. É um teste à nossa capacidade como clube, adeptos, jogadores e treinadores. Estamos todos a passar por uma situação inédita. Não me recordo desta situação nem em outros clubes”, admitiu João Henriques.

Sobre o adversário, o treinador garante tratar-se de uma equipa difícil de ultrapassar, individualmente dotada de bons jogadores e que está muito bem coletivamente, por estar consolidada nas ideias do seu treinador.

“É uma equipa que tem umas características muito vincadas, sobretudo quando joga no seu estádio. Está forte, com os pontos que têm está confortável, é sempre difícil de bater, porque nunca vira a cara à luta, cada lance de jogo disputa como se fosse o último da partida”, sublinhou o treinador maritimista.

Explicando ainda que o Marítimo tem consciência da dificuldade da visita a um lugar onde só venceu o Benfica, líder do campeonato.

Sobre o desaire dos ‘axadrezados’ na última jornada (derrota diante do Famalicão, por 4-0), João Henriques não vê como um ‘trunfo’ para os insulares, porque poderá ter tido o mesmo efeito que a expulsão de Vítor Costa e “juntar a equipa”.

“Não sabemos o que vamos encontrar, para além de uma equipa forte, com um treinador competente e um estádio difícil de jogar, mas queremos, como vem sendo a nossa máxima, disputar os três pontos sempre, seja em qualquer estádio, contra qualquer adversário, e este não foge à regra”, garantiu o líder da comitiva madeirense.

O Marítimo, atual lanterna-vermelha da I Liga portuguesa de futebol, sem qualquer ponto somado, visita, no domingo, às 15:30, o Boavista, que se encontra na quinta posição, com 15 pontos, numa partida com arbitragem de Luís Godinho da associação de Évora.

 

SFYR // NFO

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS