Treinador do FC Porto sente plantel revoltado após Madrid

Os futebolistas do FC Porto trabalharam com revolta nos dois dias subsequentes à derrota no terreno dos espanhóis do Atlético de Madrid (1-2), na estreia do Grupo B da Liga dos Campeões, assumiu hoje o treinador Sérgio Conceição.

Treinador do FC Porto sente plantel revoltado após Madrid

Treinador do FC Porto sente plantel revoltado após Madrid

Os futebolistas do FC Porto trabalharam com revolta nos dois dias subsequentes à derrota no terreno dos espanhóis do Atlético de Madrid (1-2), na estreia do Grupo B da Liga dos Campeões, assumiu hoje o treinador Sérgio Conceição.

“Como digo sempre, trabalhar em cima de derrotas nunca é bom. Não só pelo resultado que se teve, mas também pelo estado de espírito. Os jogadores sentiam antes do apito inicial que podíamos ir ganhar à casa do Atlético. No fim, saímos com a sensação de que merecíamos ter levado os três pontos”, admitiu o técnico, na conferência de imprensa de antevisão à receção ao Desportivo de Chaves, no sábado, para a sexta ronda da I Liga.

Os campeões nacionais vão regressar à competição interna três dias depois do deslize europeu, que teve três golos já em período de compensação e proporcionou emoções díspares da semana posterior à derrota no terreno do Rio Ave (1-3), da quarta jornada.

“Se pudéssemos jogar logo a seguir [a Madrid], obviamente que sim, mas há que ver a recuperação dos atletas. A preparação é extremamente curta e tem os seus contras, mas também o lado positivo, que é estar na Liga dos Campeões e agora lutar pelo principal objetivo. Por isso, estamos preparados com as diferentes soluções que temos”, notou.

Afastando repercussões da derrota em Madrid no campeonato, Sérgio Conceição disse que a equipa “devia ter estado mais em jogo” nos instantes finais, já que “o árbitro ainda não tinha apitado”, apesar de o quarto árbitro lhe ter dito que o duelo “já tinha acabado”.

“Claro que me chateia particularmente, pois sabemos onde está a bola, quem é que ia cobrar o canto, que atletas estão na área e aquilo que temos a fazer. Como sabem, nós fazemos uma marcação mista com homens à zona e na marcação ao adversário. Faltou alguma concentração, o que é justificável pelo minuto e por todas as incidências do jogo. Agora, não aceito, porque até ao último segundo temos de estar com o mesmo foco que trazemos quando entramos em campo, mas aconteceu e não há nada a fazer”, apontou.

O treinador ressalvou, porém, que os ‘azuis e brancos’ “foram superiores no jogo todo e mereciam ter vencido”, tendo partilhado com o balneário que “estava muito orgulhoso do trabalho” dos jogadores, que “já deram mostras de serem uns grandíssimos campeões”.

Privado do sérvio Marko Grujic e de Otávio, ambos por lesão, Sérgio Conceição viu hoje Wilson Manafá ser dado como apto pelo departamento clínico do FC Porto para o duelo frente ao promovido Desportivo de Chaves, ainda imbatível nas duas partidas disputadas fora para a I Liga, incluindo um êxito ante o Sporting em Alvalade (2-0), há duas rondas.

“A par do Casa Pia, tem feito um excelente início de época e prova em campo ter atletas interessantes e uma equipa técnica extremamente competente. Cabe-nos pensar naquilo que temos de fazer para desmontar uma boa organização defensiva e estar atentos às saídas do Chaves, que é vertical, incisivo e olha muito para a baliza adversária”, alertou.

O FC Porto, terceiro classificado da I Liga, com 12 pontos, vai receber o Desportivo de Chaves, sexto, com oito, no sábado, às 20:30, no Estádio do Dragão, no Porto, em encontro da sexta jornada, com arbitragem de António Nobre, da associação de Leiria.

RYTF // AMG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS