Tomaz Morais acredita em campanha ainda mais “épica” de Portugal do que em 2007

O antigo selecionador português de râguebi Tomaz Morais disse hoje que Portugal pode fazer uma campanha ainda mais “épica” no Mundial2023 do que em 2007, quando orientou os ‘lobos’ na competição, também em França.

Tomaz Morais acredita em campanha ainda mais

Tomaz Morais acredita em campanha ainda mais “épica” de Portugal do que em 2007

O antigo selecionador português de râguebi Tomaz Morais disse hoje que Portugal pode fazer uma campanha ainda mais “épica” no Mundial2023 do que em 2007, quando orientou os ‘lobos’ na competição, também em França.

A seleção portuguesa garantiu a presença num Mundial de râguebi pela segunda vez na sua história, após empatar com os Estados Unidos (16-16), no último jogo do torneio de repescagem, e o atual diretor-geral de formação do futebol do Sporting acredita que a experiência adquirida, em 2007, pode potenciar a nova presença dos ‘lobos’ em França.

“Por ter vivido esse momento, Portugal pode planear uma campanha épica. Tem a comunidade portuguesa a apoiar e o [Patrice] Lagisquet é um senhor do râguebi francês, o que ajuda ainda mais. Pode ser um momento ainda muito maior do que o Mundial2007, porque as pessoas já conhecem os ‘lobos’, vai ter mais dimensão”, vaticinou o antigo treinador em declarações à agência Lusa.

As comparações, no entanto, terminam por aí, uma vez que Morais considera que “não seria justo para aquela geração nem para esta” entrar em paralelismos, uma vez que “no desporto, os momentos são incomparáveis”.

“Têm contextos e circunstâncias diferentes. Estatutos diferentes, porque a outra era uma seleção muito ‘caseira’ e esta tem a possibilidade, ainda bem, de ter jogadores ao mais alto nível. Não podemos comparar”, refutou Morais.

Ainda assim, o antigo jogador internacional e selecionador destacou uma semelhança positiva entre as duas gerações.

“Ambas têm o ADN do râguebi português, da sua identidade, cultura, valores, atitude, raça e isso é que tem de ficar patente cá para fora. Ainda bem que assim é, está a passar de geração em geração”, comentou.

Por outro lado, porque “esta geração é composta por uma mistura de jogadores muito experientes e miúdos de enorme qualidade e valia técnica formados em Portugal”, Tomaz Morais acredita que a seleção pode aspirar a mais do que em 2007, quando somou por derrotas todos os quatro encontros.

“Está a crescer e, sendo de um país pequeno, tem mais facilidade em mobilizar-se para fazer um Mundial inesquecível. E tem um grupo que pode permitir uma vitória, contra a Geórgia ou as Ilhas Fiji. Já esteve perto de acontecer com o Japão e a Itália, pode ser que aconteça no Mundial”, analisou Morais.

Esta é apenas a segunda vez que Portugal vai disputar o Campeonato do Mundo de râguebi, após a única e histórica participação, em 2007, também em França.

A seleção portuguesa vai integrar o Grupo C do Campeonato do Mundo, com País de Gales, Austrália, Ilhas Fiji e Geórgia.

O Mundial de râguebi de 2023 realiza-se em França, de 08 de setembro a 28 de outubro.

SYL // VR

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS