Técnico do Arouca destaca a “aplicação” da equipa após derrota com o FC Porto

O treinador do Arouca, Armando Evangelista, destacou hoje o “trabalho, aplicação e concentração” dos jogadores após derrota frente ao FC Porto (5-1), na preparação da receção ao Estoril Praia, da 15.ª jornada da I Liga de futebol.

Técnico do Arouca destaca a

Técnico do Arouca destaca a “aplicação” da equipa após derrota com o FC Porto

O treinador do Arouca, Armando Evangelista, destacou hoje o “trabalho, aplicação e concentração” dos jogadores após derrota frente ao FC Porto (5-1), na preparação da receção ao Estoril Praia, da 15.ª jornada da I Liga de futebol.

“Quando falamos do jogo anterior, temos de ter a noção das diferenças abismais e o risco que corríamos ao defrontar o FC Porto. Estávamos preparados para isso, portanto, em níveis anímicos, não foi o jogo anterior que abalou a equipa. Óbvio que ninguém gosta de sofrer golos, de perder, mas não é esse resultado que vai beliscar o trabalho que a equipa tem feito. Portanto, foi uma semana normal, de muito trabalho, aplicação e concentração a pensar no jogo de amanhã [sábado]”, afirmou o técnico, em conferência de imprensa.

Quanto ao adversário do próximo sábado, o Estoril Praia, que não vence para o campeonato desde o dia 07 de outubro (deslocação ao terreno do Gil Vicente), contrastando com o bom arranque dos comandados de Nelson Veríssimo, Armando Evangelista não se ilude e espera defrontar uma “boa equipa”, que considera ser “muito bem orientada”.

“Estamos cientes das dificuldades que vamos encontrar. O Estoril [Praia] é uma boa equipa, tem muito bons jogadores, é muito bem orientada. No ano passado, no regresso à I Liga, fez um ótimo campeonato, manteve a estrutura e os seus melhores jogadores e tem uma dinâmica muito interessante […] Do nosso lado, temos de fazer tudo o que está ao nosso alcance para ganhar e continuar o nosso trajeto, que temos consciência que, nesta fase, vai ser difícil”, constatou Evangelista.

Numa altura em que o conjunto da Serra da Freita se encontra inserido em todas as competições nacionais – o Arouca e o FC Porto são as únicas equipas a conseguirem o feito -, o treinador reconhece que o calendário preenchido poderá causar dificuldades, com cinco jogos para disputar no mês de janeiro, mas manifestou o seu contentamento pelo cenário atual.

“Vamos ter dois jogos por semana, mas, se o estamos a fazer, é fruto do trabalho que fizemos lá atrás e isto dá-nos a possibilidade de crescer. […] Eu não olho para esta fase como um preço a pagar, mas sim como louros a colher, porque, se queremos subir de nível, é importante estar nestas decisões. Quem compete em jogos tão próximos são as equipas que estão em todas as frentes. Não é fácil para o Arouca estar em tantas competições porque, em termos estruturais, tem de crescer, mas isto são dores de crescimento, fazem parte”, explicou.

O técnico expressou o desejo de colocar em campo a “equipa mais competitiva”, não só no duelo contra os estorilistas, mas em todas as partidas, quando se aproxima também uma nova deslocação ao Estádio do Dragão, marcada para dia 11 de janeiro, a contar para os ‘oitavos’ da Taça de Portugal, mas admite que poderá futuramente ter de fazer a gestão do plantel, apesar de estar “um bocado hipotecada” pelas ausências.

Rafael Mújica continuará de fora das opções para a partida devido a lesão, assim como Vitinho e Sema Velasquez, mas Evangelista conta já com Pedro Moreira e Arsénio, que “voltaram esta semana aos treinos com o grupo, sem limitações”.

O Arouca, nono classificado com 19 pontos, recebe no sábado o Estoril Praia, 13.º com 16, em encontro agendado para as 15:30, sob arbitragem de João Pinheiro, associação de Braga.

TYHG /

Lusa/Fim

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS