TAD aceita providência cautelar do FC Porto pela interdição de dois jogos

O Tribunal Arbitral do Desporto deu provimento à providência cautelar do FC Porto pela interdição de duas partidas do Estádio do Dragão, aplicada pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol.

TAD aceita providência cautelar do FC Porto pela interdição de dois jogos

TAD aceita providência cautelar do FC Porto pela interdição de dois jogos

O Tribunal Arbitral do Desporto deu provimento à providência cautelar do FC Porto pela interdição de duas partidas do Estádio do Dragão, aplicada pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol.

Fontes dos campeões nacionais e ligadas ao processo confirmaram à agência Lusa a decisão do TAD, que permite suspender a medida da secção profissional do CD da FPF, cuja entrada em vigor 15 dias após o seu anúncio afetaria as receções do FC Porto ao Sporting, no ‘clássico’ da terceira jornada da edição 2022/23 da I Liga, no fim de semana de 20 e 21 de agosto, e ao Desportivo de Chaves, da sexta, em 10 ou 11 de setembro.

Em 20 de julho, os campeões nacionais comunicaram que iam “convictamente recorrer e reverter” a sanção de dois jogos de interdição do recinto, argumentando que tal se devia “apenas e só ao comportamento de elementos que não pertencem à estrutura” do clube.

Em causa estão os incidentes no ‘clássico’ entre FC Porto e Sporting, da 22.ª jornada da edição 2021/22 da I Liga, que geraram ainda uma multa de 25.245 euros aos ‘dragões’, por “arremesso de objeto sem reflexo no jogo” e “inobservância qualificada de deveres”.

O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol condenou também o coordenador de segurança da SAD do FC Porto, João Paulo Sousa, a pagar uma coima de 1.530 euros, ao passo que o diretor de campo e o diretor de segurança, Ricardo Carvalho e Carlos Carvalho, respetivamente, receberam multas de 918 euros cada um.

Já Manuel Silva (colete azul n.º 02), Carlos Elias (n.º 03) e Cláudio Filipe Nova (n.º 05), identificados no documento como “elementos de apoio às ações promocionais da FC Porto SAD”, receberam 75 dias de suspensão e 3.060 euros de coima por “agressões”.

Alvo de um processo disciplinar nos dias seguintes ao ‘clássico’, que foi realizado em 11 de fevereiro e terminou empatado 2-2, Matheus Reis, defesa brasileiro do Sporting, já tinha sido constituído arguido, mas foi considerado absolvido do ilícito de agressão.

Estes castigos foram divulgados após a instauração de um processo de inquérito aos incidentes verificados na receção dos ‘dragões’ aos ‘leões’, tais como o arremesso de objetos de apanha-bolas e de objeto metálico, em forma de projétil, ou o comportamento de assistentes de recinto desportivo e elementos da equipa de ativações publicitárias.

Quando faltavam 12 jornadas para o fim do campeonato, o então líder FC Porto manteve os seis pontos de avanço sobre o Sporting, segundo colocado, ao responder aos golos iniciais de Paulinho (oito minutos) e Nuno Santos (34) por Fábio Vieira (38) e Mehdi Taremi (78), tendo jogado em vantagem numérica desde os 49, por expulsão de Coates.

Os detentores da Taça de Portugal e da Supertaça Cândido de Oliveira iniciam a defesa do título de campeão nacional com uma receção ao Marítimo, no sábado, às 20:30, no Estádio do Dragão, no Porto, em jogo da jornada inaugural da edição 2022/23 da I Liga.

RYTF // NFO

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS