Taça de Portugal: Benfica e Braga tentam fugir a época em ‘branco’

O Benfica e o Sporting de Braga defrontam-se no domingo em Coimbra à procura de evitar uma época 2020/21 completamente em ‘branco’, numa inédita final da 81.ª edição da Taça de Portugal em futebol.

Taça de Portugal: Benfica e Braga tentam fugir a época em 'branco'

Taça de Portugal: Benfica e Braga tentam fugir a época em ‘branco’

O Benfica e o Sporting de Braga defrontam-se no domingo em Coimbra à procura de evitar uma época 2020/21 completamente em ‘branco’, numa inédita final da 81.ª edição da Taça de Portugal em futebol.

No regresso à Luz, Jorge Jesus prometeu jogar o “triplo” e “arrasar”, mas, em vésperas do último jogo da temporada, não conseguiu qualquer troféu e, no campeonato, selou mesmo o pior registo do clube desde 2008/09, com o terceiro lugar.

Por seu lado, o Sporting de Braga também nada conquistou e só ‘ameaçou’ intrometer-se entre os ‘grandes’ — era segundo à 22.ª jornada -, pois, uma vez mais, foi apenas quarto, numa época em que o terceiro dava acesso às eliminatórias da ‘Champions’.

Os ‘encarnados’ e os ‘arsenalistas’ nada ganharam e já chegam com uma final perdida, os lisboetas face ao FC Porto (0-2 em Aveiro), na Supertaça Cândido de Oliveira, e os minhotos frente ao Sporting (0-1 em Leiria), na Taça da Liga.

Pelos muitos milhões investidos, a melhor equipa que tem e um historial na prova muito superior – 26-2 em títulos e 38-7 em presenças em finais -, a ‘obrigação’ de ganhar está toda do lado das ‘águias’, o que vem acompanhado de favoritismo.

O ‘momento’ também está, claramente, do lado dos ‘encarnados’, que fecharam a época em bom plano, com um 4-3 que acabou com a invencibilidade do campeão Sporting e um 3-1 em Guimarães, numa boa segunda volta, com 42 pontos, mais do que qualquer equipa.

Pelo contrário, o Sporting de Braga realizou um final de campeonato ‘horripilante’, com apenas três vitórias – 2-1 em Faro, ao Boavista e ao Moreirense — nos últimos 12 jogos, trajeto a condizer com exibições pouco conseguidas.

Ainda assim, os ‘arsenalistas’ chegam a Coimbra com vantagem no confronto direto, já que venceram por 3-2 na Luz, na primeira volta do campeonato, e por 2-1 em Leiria, nas meias-finais da Taça da Liga, para apenas um desaire, por 2-0, em casa, num jogo em que sofreu os golos após a expulsão de Fransérgio.

Do seu lado, o treinador dos ‘arsenalistas’ tem também uma série de jogadores de qualidade, nomeadamente o argentino Gaitán – que já marcou em duas finais, dando a Taça de Portugal ao Benfica em 2012/13 (1-0 ao Rio Ave) – e regressa ao local onde, em 2016, se despediu em lágrimas dos ‘encarnados’.

O conjunto minhoto não está, no entanto, na máxima força, face à ausência de três lesionados de longa duração, casos de David Carmo, Francisco Moura e Iuri Medeiros.

Do lado ‘encarnado’, não há, quase desde o início da época, o lateral direito André Almeida e Jorge Jesus também não deverá ter o central Lucas Veríssimo, que se lesionou no jogo da última ronda do campeonato.

Ainda assim, são muitas a ‘armas’ dos dois lados, individuais e coletivas, para resolver o encontro, que, ao contrário do que é tradição, não será uma tarde de festa no Estádio Nacional repleto, mas uma noite sem público em Coimbra.

O Benfica e o Sporting de Braga defrontam-se pelas 20:30 de domingo, no Estádio Cidade de Coimbra, numa inédita final da 81.ª edição da Taça de Portugal em futebol, que será disputada á porta fechada, devido à pandemia da covid-19.

 

 

Impala Instagram


RELACIONADOS